AUMENTAM EMPRÉSTIMOS À HABITAÇÃO - Plataforma Media

AUMENTAM EMPRÉSTIMOS À HABITAÇÃO

 

Os empréstimos hipotecários para habitação em Macau continuam a subir, tendo registado em julho 5.504 milhões de patacas (698,8 milhões de dólares), mais 23,6% do que no mesmo mês de 2013, foi hoje anunciado.

Segundo dados oficiais divulgados pela Autoridade Monetária de Macau, os residentes pediram à banca 5.384,5 milhões de patacas (675 milhões de dólares) ou mais 23%, enquanto os não residentes contraíram empréstimos de 119,6 milhões de patacas (18,98 milhões de dólares), ou mais 57,9%.

Na comparação mensal – entre junho e julho de 2014 – o valor global dos empréstimos hipotecários caiu 40%, com os residentes a pedirem menos 22,3% e os não residentes menos 94,7%.

Ainda assim, o saldo bruto dos empréstimos hipotecários estava calculado em 140.821,6 milhões de patacas (17.651 milhões de dólares), mais 29,9% do que em julho de 2013, com os residentes a deverem 132.473,5 milhões de patacas (16.605,5 milhões de dólares) – mais 29,7% – e os não residentes 8.348,1 milhões de patacas (104,6 milhões de dólares), ou mais 32,3%.

O aumento do valor dos empréstimos hipotecários em Macau não traduz um maior volume de venda de casas entre julho de 2013 e o mesmo mês deste ano.

De acordo com os dados dos Serviços de Finanças enquanto em julho de 2013 foram vendidas 648 unidades habitacionais com um preço por metro quadrado de 66,244 patacas (8.303 dólares ao câmbio atual), no mesmo mês deste ano foram transacionadas 619 unidades, mas o preço por metroquadrado subir para 96.828 patacas (12.1369 dólares), justificando assim, em parte, a subida do valor dos empréstimos imobiliários.

A habitação é um dos principais problemas da sociedade de Macau que, devido ao forte aumento do preço dos imóveis e, por consequência, do arrendamento, tem dificuldades em comprar ou arrendar casas.

 

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter