Início » Catarina Martins elogia Mortágua e garante que legislativas não contribuíram para saída

Catarina Martins elogia Mortágua e garante que legislativas não contribuíram para saída

TSF

A ainda coordenadora do Bloco de Esquerda garante que “fez tudo o que podia” para que o partido não saísse derrotado das legislativas.

Na hora da despedida, Catarina Martins deixa elogios à provável sucessora na liderança do Bloco de Esquerda (BE), Mariana Mortágua, e garante que o resultado das legislativas “não foi decisivo” para dar início ao novo ciclo político no partido.

Catarina Martins esteve esta noite na RTP e, embora prefira destacar o coletivo do partido, elogia Mariana Mortágua, que vai encabeçar uma moção na convenção do partido, tendo em vista a liderança bloquista.

“A Mariana é extraordinária, tem características que todos conhecem. Mas também digo que há mais pessoas no BE com características fundamentais para desempenhar estas funções. Em conjunto somos capazes das melhores soluções”, atirou.

Questionada sobre as razões que a levam a deixar a liderança do partido ao fim de uma década, Catarina Martins garante que as eleições legislativas do ano passado, de que os bloquistas saíram derrotados, não foram decisivas para a decisão.

“Tenho enorme tranquilidade por saber que fiz tudo o que sabia e podia em cada um dos dias, destes dez anos. Uma das coisas que foi feita é que nunca fomos o partido de uma pessoa”, acrescenta.

A ainda coordenadora do partido “não desvaloriza os resultados eleitorais”, mas salienta “a coerência” para “não ceder” ao Governo socialista, o que levou ao chumbo do Orçamento do Estado para 2022 e consequente queda do Executivo.

“Vamos à luta: umas vezes ganhamos, outras perdemos”, conclui.

O BE foi um dos derrotados das legislativas de janeiro de 2022, passando de 19 para apenas cinco deputados, e assistindo à vitória com maioria absoluta conquistada pelo PS.

Depois de três mandatos à frente do partido, Catarina Martins anunciou esta terça-feira que vai deixar a liderança bloquista. A ainda coordenadora considera que a “instabilidade da maioria absoluta” é sinal do fim de um ciclo.

Catarina Martins é coordenadora dos bloquistas desde dezembro de 2014, ou seja, há mais de oito anos. Antes, exerceu a função de co-coordenadora com João Semedo, durante dois anos.

Contact Us

Generalist media, focusing on the relationship between Portuguese-speaking countries and China.

Plataforma Studio

Newsletter

Subscribe Plataforma Newsletter to keep up with everything!