Um vinho feito à moda antiga - Plataforma Media

Um vinho feito à moda antiga

Altitude by Duorum 2020 é o nome do novo vinho posto no mercado pela Duorum. Fresco e frutado, gosta de se fazer acompanhar por tábuas de queijo e pratos de carne. Mas tudo depende da imaginação e do apetite

No rótulo (concebido pela branding designer Rita Rivotti), um pássaro pousado num ramo veste um traje digno dos antigos Condes de Castelo Melhor, nome da quinta no Douro de onde provém o novo Altitude by Duorum. Mas a escolha da imagem não foi ocasional ou apenas decorativa já que estas vinhas encontram-se em dois locais que integram a Rede Europeia de Conservação da Natureza (Rede Natura 2000), a Zona de Proteção Especial para Aves do Douro Internacional e Vale do Águeda e o Sítio de Importância Comunitária do Douro Internacional. Com essa consciência, a empresa adotou há muito uma conduta ambiental hoje certificada pelo Instituto para a Conservação da Natureza e Biodiversidade e à sua consequente adesão à iniciativa europeia Business & Biodiversity, uma rede internacional de empresas que integra na sua atividade preocupações com a natureza e a biodiversidade.

O vinho que nos chega “representado” por tão ilustre ave é, segundo João Portugal Ramos, “um vinho feito à moda antiga, que não passa pela barrica e é engarrafado cedo para que seja fresco e muito frutado”. O Altitude by Duorum resulta, assim, de um blend das castas típicas da região do Douro – Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinta Roriz. De cor vermelha profunda, aroma intenso, dominado pela fruta preta madura e pelos aromas florais de violeta, este é um vinho encorpado, fresco, com acidez equilibrada bem envolvida no seu corpo e volume. Para João Perry Vidal, diretor de Viticultura da Duorum, a ideia foi “criar um vinho que fosse como um passeio de barco no rio Douro – inesquecível e que nos deixe com vontade de voltar! O Altitude expressa o caráter único do Douro Superior, transportando-nos para uma imagem panorâmica das vinhas, que dão origem a vinhos frescos, frutados e vibrantes e que constituem um refúgio para a biodiversidade local.”

O seu principal propósito é dar resposta à crescente procura mundial de vinhos mais frescos e equilibrados proveniente das vinhas de cota alta (400 – 500 metros) da Quinta de Castelo Melhor. Vinhas que estão sujeitas a noites frescas e a uma privilegiada exposição solar e luminosidade durante o dia. Esta amplitude térmica, entre a noite e o dia, contribui para obter uvas maduras, mas dotadas de excelente acidez . Já disponível no mercado, estará à venda em garrafeiras especializadas de Norte a Sul do país e no canal Horeca.

Leia mais em Diário de Notícias

Este artigo está disponível em: English

Related posts
MacauPortugal

Empresário de Macau promove vinhos de Portugal para a China

LifestylePortugal

Como o Douro quer conquistar o turista que não sai do Porto

ChinaPortugal

Vinho português abre o paladar oriental

LifestyleLusofonia

Macau lança primeira carta de vinhos lusófonos recomendados

Assine nossa Newsletter