Autarquias portuguesas encaixaram 19 milhões com taxa turística - Plataforma Media

Autarquias portuguesas encaixaram 19 milhões com taxa turística

A retoma do turismo já se faz sentir nas contas das autarquias. Entre janeiro e junho, os municípios encaixaram mais de 19 milhões de euros com a cobrança de taxas turísticas, de acordo com o levantamento realizado pelo DN/Dinheiro Vivo. As contas revelam uma recuperação de 650% nas receitas deste imposto face ao mesmo período de 2021. Ainda assim, as câmaras amealharam menos 13% em comparação com os seis primeiros meses de 2019. Durante os dois últimos anos de pandemia várias foram as autarquias que suspenderam a taxa e só agora voltaram a retomar a cobrança do montante aos hóspedes, que varia entre um e dois euros, em alojamentos turísticos, como alojamentos locais (AL) ou turismos rurais, e estabelecimentos hoteleiros. No total, há atualmente 11 câmaras a tributar as dormidas nos estabelecimentos de alojamento turístico: Braga, Cascais, Faro, Lisboa, Mafra, Óbidos, Porto, Santa Cruz (Madeira), Sintra, Vila Nova de Gaia e Vila Real de Santo António.

Lisboa foi o município com os cofres mais recheados, arrecadando 12,4 milhões de euros até junho, valor ainda abaixo dos 14,6 milhões de euros cobrados em 2019. Nesse ano, antes da pandemia, a autarquia que implementou a taxa turística em 2016, duplicou o valor cobrado de um para dois euros, a serem pagos por hóspedes com idade superior a 13 anos e até ao limite de sete noites. A câmara liderada por Carlos Moedas explica ao DN/DV que, no acumulado deste ano, os empreendimentos turísticos cobraram 6,5 milhões de euros e o AL cerca de seis milhões de euros.

O Porto, que fixa uma taxa turística de dois euros desde 2018, ocupa a segunda posição a nível nacional com o maior valor de receitas cobradas até ao mês passado, com 4,6 milhões de euros, abaixo dos 6,6 milhões de euros de 2019. Ao contrário da capital, na Invicta foi o AL que arrecadou a maior fatia das receitas, cerca de 60%, contra os 40% do restante alojamento turístico. Vila Nova de Gaia implementou também a Taxa de Cidade, em 2019, cobrando um euro por dormida entre outubro e março e dois euros na época alta, ou seja, entre abril e setembro.

Leia mais em Diário de Notícias

Related posts
EconomiaMacau

Novas restrições preocupam hotéis, restaurantes e setor das convenções

Hong KongLifestyle

Famoso restaurante flutuante de HK afunda no Mar da China Meridional

Cabo VerdeEconomia

Cabo Verde soma recordes no turismo

MundoSociedade

Japão abre as portas para turistas em grupos organizados

Assine nossa Newsletter