Sanções contra a China são desnecessárias por enquanto, diz EUA -

Sanções contra a China são desnecessárias por enquanto, diz EUA

O Tesouro dos Estados Unidos considerou sexta-feira (25) que não acredita ser necessário aplicar sanções contra a China por enquanto e a Casa Branca continua esperançosa de que o gigante asiático não ajudará o esforço de guerra russo na Ucrânia.

“Não acho que seja necessário ou apropriado nesta etapa”, disse a secretária do Tesouro, Janet Yellen, à CNBC.

A ministra lembrou conversas entre funcionários do alto escalão dos EUA e da China, “para garantir que eles entendam nossa posição”.

O próprio presidente Joe Biden disse na quinta-feira que estava “esperançoso” de que Pequim não viesse em auxílio de Moscou.

“Ficaríamos muito preocupados se (a China) fornecesse armas à Rússia, ou se tentasse evitar as sanções que impusemos contra o sistema financeiro russo e o banco central”, disse Yellen.

“Não vemos isso acontecendo agora. E realmente queremos ter certeza de que eles entendam essa situação complexa que estão enfrentando”, afirmou.

Sobre as repercussões econômicas da guerra na Ucrânia, ela também alertou que “é possível” que o preço da gasolina na bomba “continue aumentando”.

“Estamos fazendo tudo o que podemos, trabalhando com nossos parceiros para garantir um fornecimento global adequado, para garantir que a Europa esteja bem abastecida com petróleo e gás natural e para proteger os consumidores americanos sempre que possível”, disse ela.

“Mas quando a 11ª maior economia enfrenta sanções por seu comportamento horrível na Ucrânia, há consequências inevitáveis”, alertou.

Related posts
AngolaPolítica

UNITA diz que Tribunal Constitucional aceitou providência cautelar

AngolaSociedade

“Caçadores de óbito”, os truques para matar a fome em Luanda à custa dos funerais

Política

Negociações entre Rússia e Ucrânia não avançam nas questões principais, diz negociador russo

Política

UE/EUA anunciam contrato recorde de gás

MundoPolítica

Von der Leyen e Biden querem impedir Rússia de pagar guerra com reservas de ouro

ChinaEconomia

Biden “esperançoso” que China não se envolva na guerra na Ucrânia

Assine nossa Newsletter