Brasil compromete-se com neutralidade carbónica e desflorestação

Brasil compromete-se com neutralidade carbónica e desflorestação

O Brasil vai comprometer-se com a neutralidade carbónica até 2050 e assumir compromisso sobre o fim da desflorestação. Significativa alteração face às políticas ambientais do Governo

Brasil compromete-se com a neutralidade carbónica e desflorestação. As novas metas, incluindo a neutralidade carbónica em 2050, foram avançadas em entrevista telefónica a esta agência de informação financeira pelo secretário para os assuntos políticos multilaterais do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Paulino de Carvalho Neto.

Na entrevista, o responsável disse também que vai aderir ao compromisso de parar a desflorestação e acabar com a degradação dos solos até 2030.

O Brasil, sede da floresta Amazónia, mudou a sua perspetiva sobre o clima e está a posicionar-se de forma mais flexível nas negociações que tentam evitar as piores consequências das alterações climáticas, nota a Bloomberg.

Reduzir a desflorestação será fundamental para o Brasil, que também planeia anunciar um aumento no objetivo de reduzir as emissões poluentes para 43% até 2030, mas escusando-se a apontar um objetivo específico.

Na entrevista, o responsável disse também que “há boas hipóteses” de alcançar um acordo relativamente ao mercado global de carbono, conhecido como Artigo 6.

Mais de 120 líderes políticos e milhares de especialistas, ativistas e decisores públicos são esperados em Glasgow para atualizar os contributos dos países para a redução das emissões de gases com efeito de estufa até 2030.

A 26.ª Conferência das Partes da Convenção das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (COP26) é uma reunião de duas semanas considerada crucial para o futuro da humanidade.

Apesar dos compromissos assumidos até agora, as concentrações daqueles atingiram níveis recorde em 2020, mesmo com a desaceleração económica provocada pela pandemia de covid-19, segundo a ONU, que estima que, ao atual ritmo de emissões, as temperaturas serão no final do século superiores em 2,7 ºC.

Related posts
BrasilPolítica

MP do Brasil quer retirada de extratores de ouro na Amazónia

Brasil

Brasil usará "força total" para reduzir desflorestação após acusações

Mundo

Após COP26, mundo deve adotar ações rápidas para evitar catástrofe

ChinaPolítica

Como fica a nova dinâmica EUA-China com acordo climático

Assine nossa Newsletter