Moçambicana Paulina Chiziane vence Prémio Camões - Plataforma Media

Moçambicana Paulina Chiziane vence Prémio Camões

Entre as razões para a escolha de Paulina Chiziane estão a importância que dedica nos seus livros aos problemas da mulher moçambicana e africana e o seu trabalho recente de aproximação aos jovens, nomeadamente na construção de pontes entre a literatura e outras artes

A escritora moçambicana Paulina Chiziane é a vencedora do Prémio Camões 2021, numa escolha feita por unanimidade, anunciou a ministra portuguesa da Cultura, Graça Fonseca. “No seguimento da reunião do júri da 33.ª edição do Prémio Camões, que decorreu esta quarta-feira, 20 de outubro, a ministra da Cultura anuncia que o Prémio Camões 2021 foi atribuído à escritora moçambicana Paulina Chiziane”, lê-se na nota informativa hoje divulgada.

“O júri decidiu por unanimidade atribuir o Prémio à escritora moçambicana Paulina Chiziane, destacando a sua vasta produção e receção crítica, bem como o reconhecimento académico e institucional da sua obra”, pode ler-se na nota.

O júri referiu também a importância que dedica nos seus livros aos problemas da mulher moçambicana e africana e sublinhou o seu trabalho recente de aproximação aos jovens, nomeadamente na construção de pontes entre a literatura e outras artes.

Paulina Chiziane “está traduzida em muitos países, e é hoje uma das vozes da ficção africana mais conhecidas internacionalmente, tendo já recebido vários prémios e condecorações”, conclui-se na mensagem.

Paulina Chiziane nasceu em Manjacaze, Moçambique, em 1955. Estudou Linguística em Maputo. Atualmente, vive e trabalha na Zambézia. Ficcionista, publicou vários contos na imprensa. Publicou o seu primeiro romance, “Balada de Amor ao Vento” (1990), depois da independência do país, que é também o primeiro romance de uma mulher moçambicana.

“Ventos do Apocalipse”, concluído em 1991, saiu em Maputo, em 1993, como edição da autora e foi publicado em Portugal, pela Caminho, em 1999, antecedendo a publicação de “Balada de Amor ao Vento”, em Portugal, pela mesma editora, em 2003.

A Caminho possui aliás os títulos da autora publicados em Portugal: “Sétimo Juramento” (2000), “Niketche: Uma História de Poligamia” (2002), “O Alegre Canto da Perdiz” (2008).

Leia mais em Delas

Related posts
BrasilCultura

Academia Brasileira de Letras elege romancista José Paulo Cavalcanti

CulturaPortugal

Marcelo condecora postumamente Saramago com o grande-colar da Ordem de Camões

CulturaMacau

“De Portugal a Macau – A viagem do Pátria” com edição bilingue

CulturaEntrevista

“Cada livro é um degrau para os próximos”

Assine nossa Newsletter