Fundo indexado à Bitcoin será cotado em NY a partir de terça

Fundo indexado à Bitcoin será cotado em NY a partir de terça

Os investidores terão a opção de aplicar em bitcoins a partir desta terça-feira na bolsa de Nova Iorque, através de um fundo ETF que será indexado à evolução da popular criptomoeda pela primeira vez no mercado nova-iorquino

Um Fundo indexado à Bitcoin irá ser cotado a partir da próxima semana. Trata-se de um acontecimento muito esperado no universo das criptomoedas. 

Fundo indexado Bitcoin cotado O ETF da ProShares, que acompanhará a evolução do mercado do bitcoin, começará a ser negociado nesta terça na NYSE sob a sigla BITO, informou a empresa especializada em um comunicado publicado nesta segunda (18). 

Um porta-voz da NYSE confirmou à AFP que este primeiro fundo indexado ou ETF vinculado a uma criptomoeda será negociado a partir da abertura nesta terça-feira. 

O ETF não vai investir diretamente em bitcoins, mas em contratos no mercado futuro vinculados a criptomoedas, informou a ProShares. 

Nos ETF, os investidores podem comprar e vender a todo momento partes do fundo, diferentemente de outros instrumentos clássicos deste tipo, que têm janelas temporárias de entrada e saída. 

Os ETF se desenvolveram de forma exponencial há 20 anos e se valorizaram em mais de 5 trilhões de dólares nos Estados Unidos, o que representa 70% do mercado mundial destes fundos. 

“A ProShares, um dos principais provedores de ETF, prevê lançar (na terça) o primeiro ETF vinculado ao bitcoin nos Estados Unidos (…), uma etapa maior para os ETF”, anunciou o fundo em um comunicado. 

ETF atrelados ao bitcoin existem em Ásia, Canadá e Brasil, mas esta é a primeira vez que um será aberto na principal praça financeira do planeta. 

A Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC) não se opôs ao lançamento deste fundo, embora o tenha feito em casos anteriores. 

No entanto, a SEC publicou um tuíte com uma advertência na semana passada, que reflete as dúvidas e críticas que estes novos ativos digitais suscitam. 

“Antes de investir num fundo que tem contrato futuro com bitcoins, assegure-se de ter pesado os riscos e os benefícios”, escreveu o organismo. 

Forte crescimento

“O BITO oferecerá aos investidores a possibilidade de se expor facilmente aos rendimentos do bitcoin, através de uma conta de corretagem (…), o que elimina a necessidade de uma plataforma de intercâmbio de criptomoedas”, acrescentou o grupo. 

Empurrado principalmente por esta expectativa dos investidores com este novo produto financeiro, o preço do bitcoin disparou há um mês, subindo 40% e aproximando-se de seu recorde histórico, alcançado há seis meses, de 64.870 dólares. 

“Lembramos de 1993 e do primeiro ETF de ações; 2002 e do primeiro ETF de obrigações, e de 2004 no primeiro ETF de ouro. O ano de 2021 ficará na memória pelo primeiro ETF ligado a uma criptomoeda”, comemorou nesta segunda-feira o presidente da ProShares, Michael Sapir. 

O mercado das criptomoedas registra um crescimento “fenomenal”, segundo o FMI, que avalia em mais de 2 trilhões de dólares o total de capitalização existente em criptomoedas, a maioria em bitcoin e ethereum. 

Há seis meses entrou na bolsa a maior plataforma americana de intercâmbio de bitcoins, a Coinbase, que permite negociar umas 50 criptomoedas e é estimada em cerca de 60 bilhões de dólares. 

Related posts
BrasilPolítica

EUA confiam plenamente que o Brasil terá eleições 'livres e justas'

EconomiaMundo

Congresso dos EUA evita paralisação do Governo Federal

ChinaPolítica

Uso da Cimeira pela Democracia para isolar China vai falhar

MundoSociedade

EUA e México com programa de desenvolvimento da América Central

Assine nossa Newsletter