Internados baixam em Portugal - Plataforma Media

Internados baixam em Portugal

Dados da DGS confirmam 600 novos casos de covid-19

O relatório mostra que há agora 399 internados, dos quais 74 estão em unidades de cuidados intensivos.

A incidência nacional é agora de 111, 6 de infeção por covid-19 por 100 000 habitantes. No Continente o valor é de 113,5.Já o nível de transmissibilidade é agora de 0,85 a nível nacional e 0,84 no continente. Os mesmos números de ontem.

A região de Lisboa e Vale do Tejo continua a ser a com mais casos ativos, 7 672 e dois mortos e também a com mais internados.

Com esta atualização do número de infetados e internados, Portugal tem, atualmente, 30 547 casos ativos da doença, indica a DGS no dia em que o vice-almirante Henrique Gouveia e Melo terminou a sua missão enquanto coordenador da task force do plano de vacinação contra a covid-19.

“Acho que entrego a minha missão, está terminada e agora fica o núcleo a fazer a transição [para a vacinação contra a covid-19 e gripe]”, afirmou durante o último briefing sobre a vacinação contra a covid-19, no qual esteve o primeiro-ministro, António Costa, e a ministra da Saúde, Marta Temido.

“Já passámos os 84,3% das segundas doses”, disse Gouveia e Melo

Neste momento, estamos em 86,5% das primeiras doses e já passámos os 84,3% das segundas doses, a caminho dos 85%, apesar de agora, nesta fase final, parece que as pessoas se esqueceram de que têm que tomar a segunda dose”, disse o vice-almirante.

Na realidade, adiantou, no máximo da população elegível, falta vacinar mais 345 mil pessoas, dos quais cerca de 140 mil ainda não são elegíveis porque recuperaram.

Contudo, observou Gouveia e Melo, “há 80 mil pessoas que já recuperaram”, acrescentando: “E nós ainda não as conseguimos trazer ao processo de vacinação apesar dos apelos que fazemos”.

“Agora vamos começar a telefonar pessoa a pessoa para tentar perceber porque as pessoas não aparecem e é isto que está a fazer com que hoje em dia não estejamos a atingir os 85%, porque já tínhamos a possibilidade de o ter feito antes”, sublinhou, antecipando a expectativa de, dentro de semana ou semana e meia, atingir essa meta.

À margem da sessão em que foi anunciado o fim da missão da equipa coordenadora do processo de vacinação, o vice-almirante Gouveia e Melo agradeceu, em jeito de balanço de oito meses de trabalho à frente deste processo, à população e a todas entidades e profissionais envolvidos no plano de vacinação.

“Julgo que temos de estar todos contentes por termos em conjunto feito uma coisa que vai ficar na história e agora vou-me despedir e vou voltar ao anonimato das minhas funções militares que é como deve de ser. Muito obrigada por tudo”, declarou Henrique Gouveia e Melo.

Leia mais em Diário de Notícias

Assine nossa Newsletter