Módulo científico Nauka acopla-se com sucesso à Estação Espacial Internacional

Módulo científico Nauka acopla-se com sucesso à Estação Espacial Internacional

O módulo científico russo Nauka acoplou-se ontem (29) à Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês), após oito dias de viagem, informou a agência espacial Roscosmos

Horas depois da operação de acoplamento, houve um problema com o motor dos propulsores, ativado de forma inesperada, o que alterou a orientação da ISS.

“Os propulsores começaram a funcionar (…) de forma inesperada e deslocaram a estação em 45º. As operações de correção permitiram recolocá-la em sua posição e a tripulação não corre perigo”, explicou a Nasa no Twitter.

Durante coletiva de imprensa, a encarregada de voos da Nasa, Kathy Lueders, qualificou o incidente de “hora realmente emocionante”, ao mesmo tempo em que agradeceu à tripulação por ter superado o contratempo.

A agência espacial americana também destacou que a cápsula espacial Dragon, do programa SpaceX, lançada pelo milionário Elon Musk, atracada na ISS, estava pronta para evacuar a tripulação se necessário.

Este incidente fez com que o lançamento de testes do veículo espacial Boeing Starliner, sem tripulantes, rumo à estação espacial, fosse adiado até 3 de agosto enquanto durar a investigação em curso.

O módulo Nauka (“ciência” em russo) foi lançado em 21 de julho a bordo de um foguete Proton-M do Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão.

Após oito dias de viagem espacial, necessários para se posicionar na na mesma órbita da ISS, o módulo científico foi acoplado às 16h29 no horário de Moscou (10h29 no horário de Brasília), ao módulo de serviço russo Zvezda.

“Contato confirmado!”, tuitou o diretor da Roscosmos, Dmitri Rogozine, ao anunciar o acoplamento do módulo.

“Segundo os dados de telemetria e os relatórios da tripulação da ISS, os sistemas a bordo da estação e o módulo Naukas funcionam normalmente”, afirmou a agência espacial em um comunicado.

A operação deveria ser feita automaticamente, mas o cosmonauta Oleg Novitski, a bordo da ISS, assumiu o controle manual do módulo para guiá-lo nos últimos metros.

“Novo módulo, novas perspectivas para a astronáutica russa”, enfatizou o tripulante russo Ivan Vagner no Twitter.

Um dos maiores da ISS

Agora são necessários vários meses de trabalho e várias caminhadas espaciais para que o Nauka esteja totalmente operacional e integrado à ISS.

Depois que seu lançamento foi adiado por quase uma década, a viagem do módulo foi acompanhada de perto pela Agência Espacial Europeia (ESA), pois Nauka transportou o braço robótico ERA, que será instalado no exterior.

Nauka é um módulo de laboratório, mas também fornecerá “espaço adicional para estações de trabalho e armazenamento de carga, e espaço para equipamentos de regeneração de oxigênio e água”, disse a Roscosmos.

Ele substitui, após 20 anos de serviço, o módulo Pirs, que foi desacoplado da ISS na segunda-feira para ser consumido na atmosfera da Terra durante uma entrada controlada no sul do Oceano Pacífico.

Com um peso total de 20 toneladas e um volume interno de 70 m3, é um dos maiores módulos da ISS.

O braço mecânico da ESA, que estava praticamente pronto desde 2007, poderá “se deslocar” ao longo do segmento russo da ISS, e pode levar até oito toneladas de material, ajudando os cosmonautas em suas saídas espaciais.

“Estávamos preocupados”

“Não vamos mentir, as coisas não correram como o esperado, mas não foram ruins”, reconheceu Dimitri Rogozine, citado por agências russas.

Após um lançamento e posicionamento em órbita bem-sucedidos, Nauka experimentou vários problemas técnicos no espaço, forçando a ISS a fazer várias manobras e alimentando temores de que poderia não atracar.

“Ficamos preocupados durante os primeiros três dias. Houve uma perda de telemetria”, explicou o diretor da Roscosmos, que indicou que “uma comissão estatal analisará todas essas observações”.

“Parabéns a todos os envolvidos”, disse o Diretor Geral da ESA, Josef Aschbacher, no Twitter.

A Nasa e a empresa Boeing Space também parabenizaram a agência espacial russa, em uma demonstração da cooperação que prevalece no campo espacial.

Assim como aconteceu com outros projetos russos no espaço, o módulo enfrentou problemas de financiamento, erros burocráticos e problemas técnicos durante seu projeto e desenvolvimento.

Related posts
ChinaFuturo

Próxima viagem tripulada à estação espacial vai incluir uma mulher

FuturoMundo

NASA enviará robot ao polo sul da Lua em busca de gelo

MundoPolítica

Partido do Kremlin lidera legislativas na Rússia

Futuro

Turistas espaciais americanos passam primeiro dia em órbita

Assine nossa Newsletter