Tribunais estão a 'libertar' cidadãos de cumprir isolamento. Médicos sentem-se desautorizados - Plataforma Media

Tribunais estão a ‘libertar’ cidadãos de cumprir isolamento. Médicos sentem-se desautorizados

O país passou do estado de emergência para o de calamidade. E os pedidos de habeas corpus para o não cumprimento de isolamento profilático aumentam. Os médicos de saúde pública sentem-se desautorizados e pedem ao governo que clarifique a lei. O presidente da Associação Sindical dos Juízes concorda e diz que tal já deveria ter sido feito há mais tempo.

Uns regressavam de países com incidência elevada de covid-19, outros viajaram num voo em que, após o desembarque, foi detetado um caso positivo e outros ainda partilharam o mesmo espaço no trabalho, o mesmo carro ou até a mesma mesa no café, mas a todos os médicos de saúde pública tiveram de decretar isolamento profilático de 10 a 14 dias, mesmo com testes negativos e sem sintomatologia, para dar cumprimento às normas definidas pela Direção-Geral da Saúde (DGS) e pelos órgãos de soberania, que aprovaram os estados de emergência e de calamidade como medidas no âmbito do controlo da pandemia.

Leia mais em Diário de Notícias

Assine nossa Newsletter