CPLP: Timor-Leste quer que comunidade avance em propostas que beneficiam cidadãos - Plataforma Media

CPLP: Timor-Leste quer que comunidade avance em propostas que beneficiam cidadãos

Países de Língua Portuguesa

Timor-Leste está empenhado em que a CPLP continue a avançar na implementação de acordos que “beneficiem” os cidadãos lusófonos, incluindo na agenda da mobilidade e da economia, disse à Lusa o vice-primeiro-ministro timorense.

“Temos que continuar a caminhar. A CPLP já deu alguns passos, mas é importante continuar a caminhada de forma mais intensa, avançando em questões como a mobilidade e os temas económicos, que já marcou a presidência de Timor-Leste”, disse à Lusa José Reis.

“É preciso implementar as várias propostas para garantir que a comunidade de cidadãos pode beneficiar. Incluindo no tema da mobilidade”, disse.

José Reis lidera a delegação de Timor-Leste à cimeira da CPLP que decorre este mês em Luanda, de que faz ainda parte a chefe da diplomacia timorense, Adaljiza Magno, e que parte hoje de Díli para Lisboa onde haverá encontros preparativos.

No caso da agenda da mobilidade em concreto, um dos temas dominantes da agenda de Luanda, José Reis considera que é importante debater a proposta e depois ver como cada Estado membro a implementa ou pretende implementar.

Um dos assuntos em que a comunidade pode e deve aprofundar laços, considerou, é na questão do setor educativo, com mais apoio ao fortalecimento da língua portuguesa, disse.

A delegação de Timor-Leste à cimeira da CPLP, composta por cerca de 20 pessoas, entre as quais duas da Presidência da República, estará em Lisboa antes de viajar para Luanda.

“A equipa está já a trabalhar em algumas propostas quer em termos da declaração final quer de projetos de resoluções. Vamos agora reunir em Lisboa para concertar essas questões”, explicou José Reis.

O vice-primeiro-ministro congratulou-se com o facto de um diplomata de Timor-Leste, Zacarias da Costa, assumir o cargo de secretário-executivo na cimeira, recordando que a CPLP é uma das fronteiras timorenses.

“Timor-Leste tem três fronteiras: a regional, uma histórica que é a CPLP e uma global. E isto é muito importante para Timor-Leste”, afirmou.

Antes de viajar para Luanda José Reis tem previstos encontros com o Governo português e com uma empresa que iniciou há alguns anos o desenho do Plano Nacional de Ordenamento do Território em Timor-Leste.

A delegação timorense deverá participar nas reuniões de pontos focais da cooperação, do grupo de trabalho da CPLP e do Comité de Concertação Permanente, entre 12 e 15 de julho.

Adaljiza Magno e outros membros da delegação participam depois na reunião do Conselho de Ministros para discutir os documentos que serão aprovados na cimeira de chefes de Estado e de Governo.

Related posts
LusofoniaMoçambique

Lusófonos manifestam solidariedade com Moçambique, mas sem apoio concreto

LusofoniaPolítica

CPLP compromete-se a fazer face à emergência climática

AngolaEconomia

CPLP: Confederação Empresarial satisfeita por se falar de banco que defende desde 2014

BrasilPolítica

CPLP: Brasil está numa onda de maior aposta nesta comunidade

Assine nossa Newsletter