Responsabilidade social terá peso acrescido nas novas concessões de jogo, defendem analistas - Plataforma Media

Responsabilidade social terá peso acrescido nas novas concessões de jogo, defendem analistas

O advogado Pedro Cortés considera que o tópico da responsabilidade social terá “importância extrema” no caderno de encargos do concurso público para as novas concessões de jogo agendado para 2022. A vontade de investir na Grande Baía é outro dos critérios que pode ganhar relevância

De acordo com um estudo da autoria do advogado e especialista na área do jogo, Pedro Cortés, a responsabilidade social a assumir pelas concessionárias terá um pendor maior no caderno de encargos do concurso público agendado para 2022 para a obtenção das licenças de jogo.

Para o jurista, apesar de as operadoras terem progressivamente assumido esse papel de forma mais ou menos formal ao longo do tempo, com especial destaque para a situação excepcional provocada pela pandemia de covid-19, é expectável que a obrigação venha a ser plasmada de forma mais directa.

“É expectável que a responsabilidade social venha a ser um tópico de importância extrema no concurso público anunciado para 2022. Apesar de não se vislumbrar alterações na legislação de Macau, as operadoras de jogo têm vindo a colocar em prática medidas leves nesse sentido, especialmente porque, a tempos, os deputados de Macau vocalizam essa necessidade e o Governo tem chamado a atenção para a temática, com particular destaque para a situação dos trabalhadores dos casinos”, pode ler-se no estudo publicado pela International Association of Gaming Advisors (IAGA).

Leia mais em Hoje Macau

Artigos relacionados
ChinaMacau

China está a negar vistos para Macau a jogadores frequentes

MacauPolítica

Jogo: Governo recua na proposta para acabar com casinos-satélite

ChinaEconomia

Pandemia e lei do jogo transformam o mercado laboral de Macau

ChinaMacau

FAOM quer mais discussão sobre garantia de empregos

Assine nossa Newsletter