Bolsonaro ignora 4 mil mortes, ironiza título de genocida e critica medidas restritivas

Bolsonaro ignora 4 mil mortes, ironiza título de genocida e critica medidas restritivas

Em interação com apoiadores, presidente não deu ouvidos a mulher que falou duas vezes no número de mortes de Covid nas últimas 24 horas

Ao interagir com seus apoiadores na entrada do Palácio da Alvorada na noite desta terça-feira (6), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ignorou as mais de 4.000 mortes por Covid-19 das últimas 24 horas, ironizou o título de genocida usado contra ele por seus opositores e criticou medidas restritivas adotadas por prefeitos e governadores.

O vídeo de pouco mais de 13 minutos foi compartilhado por um canal de internet simpático ao presidente e mostra a interação.

Bolsonaro criticava medidas de restrição de circulação, listando como consequências de “ficar em casa” depressão, ganho de peso e hipertensão.

“Quando você prende o cara em casa, o que ele faz em casa? Duvido que ele não aumentou um pouquinho de peso. Duvido. Até eu cresci um pouquinho a barriga”,afirmou.

Leia mais em Folha de S. Paulo

Related posts
BrasilSociedade

Diretor de regulador do Brasil confirma tentativa de indicar cloroquina para tratamento

BrasilPolítica

Sem provas, Bolsonaro classifica mortos de Jacarezinho como traficantes que 'roubam e matam'

BrasilPolítica

Covid-19: Presidente do Brasil diz que teve sintomas de reinfeção recentemente

BrasilPolítica

Bolsonaro insiste em defesa de cloroquina e chama CPI da Covid de 'xaropada'

Assine nossa Newsletter