Bolsonaro ignora 4 mil mortes, ironiza título de genocida e critica medidas restritivas

Bolsonaro ignora 4 mil mortes, ironiza título de genocida e critica medidas restritivas

Em interação com apoiadores, presidente não deu ouvidos a mulher que falou duas vezes no número de mortes de Covid nas últimas 24 horas

Ao interagir com seus apoiadores na entrada do Palácio da Alvorada na noite desta terça-feira (6), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ignorou as mais de 4.000 mortes por Covid-19 das últimas 24 horas, ironizou o título de genocida usado contra ele por seus opositores e criticou medidas restritivas adotadas por prefeitos e governadores.

O vídeo de pouco mais de 13 minutos foi compartilhado por um canal de internet simpático ao presidente e mostra a interação.

Bolsonaro criticava medidas de restrição de circulação, listando como consequências de “ficar em casa” depressão, ganho de peso e hipertensão.

“Quando você prende o cara em casa, o que ele faz em casa? Duvido que ele não aumentou um pouquinho de peso. Duvido. Até eu cresci um pouquinho a barriga”,afirmou.

Leia mais em Folha de S. Paulo

Artigos relacionados
BrasilSociedade

Brasil terá geração mais pobre com fechamento de escolas na pandemia

BrasilPolítica

Toffoli rejeita notícia-crime de Bolsonaro contra Alexandre de Moraes

BrasilPolítica

Bolsonaro entra com notícia-crime contra Alexandre de Moraes

BrasilEconomia

Bolsonaro muda cálculo de frete a caminhoneiros após aumento do diesel

Assine nossa Newsletter