Covid-19: Senado do Brasil pede autorização aos EUA para comprar vacinas armazenadas - Plataforma Media

Covid-19: Senado do Brasil pede autorização aos EUA para comprar vacinas armazenadas

O presidente do Senado brasileiro enviou na sexta-feira uma carta à vice-presidente norte-americana, Kamala Harris, pedindo autorização para comprar doses de vacinas contra a covid-19 que estão armazenadas nos Estados Unidos.

“Solicitei aos Estados Unidos, por meio de ofício enviado à vice-presidente Kamala Harris, pedido de socorro ao Brasil nas ações de combate à pandemia da covid-19. Pedi que fosse considerada a eventual concessão de autorização especial que permita a aquisição, pelo Governo brasileiro, de doses de vacina em estoque nos Estados Unidos e ainda sem a previsão de serem utilizadas localmente”, anunciou o senador Rodrigo Pacheco na rede social Twitter.

A mensagem foi enviada à embaixada norte-americana em Brasília e endereçada a Kamala Harris que, por ser vice-presidente de Joe Biden, preside o Senado norte-americano.

Segundo o presidente do Senado brasileiro, caso autorizado, “daria um impulso decisivo ao esforço de imunização dos 210 milhões de brasileiros”.

“Tendo acompanhado a provação por que tantos cidadãos norte-americanos passaram nos últimos meses, vossa excelência poderá bem avaliar a angústia e o sofrimento das famílias brasileiras diante do recrudescimento da pandemia. Suponho ainda que já estará inteirada do risco que o rápido avanço do vírus no Brasil representa para todo o hemisfério ocidental”, argumentou o senador.

Pacheco ressaltou que o gesto “aprofundaria os laços de cooperação” entre os dois países e teria repercussões positivas internacionalmente, uma vez que o Brasil é, hoje, o “epicentro” da pandemia.

“Toda a comunidade internacional ganharia, em segurança sanitária e estima moral, com iniciativa de tamanha relevância e grandeza”, afirmou, na carta enviada a Kamala Harris.

A mensagem também estende a oportunidade para que se realizem outras iniciativas de colaboração entre o Brasil e os Estados Unidos na área da saúde e do combate à pandemia.

Ainda esta semana, também o ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva pediu ao mandatário norte-americano, Joe Biden, que compartilhe as vacinas restantes contra a covid-19 e convoque o G20 para discutir a distribuição de imunizantes.

“Os Estados Unidos têm um excesso de vacinas e não vai usar todas e talvez essas vacinas, quem sabe, poderiam ser doadas ao Brasil ou para outros países ainda mais pobres que o Brasil, que não tem condições de comprar vacinas”, afirmou o histórico líder do Partido dos Trabalhadores (PT) na quarta-feira.

O Brasil, que atravessa agora o seu momento mais critico da pandemia, é o segundo país do mundo mais afetado pela covid-19, com 290.314 mortes e mais de 11,8 milhões de infeções, apenas atrás dos Estados Unidos.

Além de sucessivos recordes diários de óbitos e infeções e de hospitais em colapso, especialistas em saúde alertam que nas próximas semanas é esperado um forte aumento da curva pandémica na nação sul-americana, entre outros fatores devido à alta incidência de nova estirpe que detetada no Amazonas e que já se espalhou por todo o Brasil.

Até ao momento, apenas 4,5% da população brasileira recebeu a primeira dose dos imunizantes e 1,5% as duas doses, numa campanha de vacinação que avança lentamente no país devido à falta de antecipação nas encomendas de doses e atrasos nas entregas.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.692.313 mortos no mundo, resultantes de mais de 121,7 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Related posts
BrasilSociedade

Covid-19: Governo do Brasil nega que seja necessário vacinar professores para retomar aulas

BrasilSociedade

Governo do Brasil deixou sem resposta pedidos de ajuda do Amazonas

BrasilSociedade

Brasil poderia ter salvo 20 mil vidas por mês com vacinação mais acelerada

BrasilPolítica

Após anúncio de Bolsonaro, Queiroga diz que para dispensar máscara é preciso vacinar população

Assine nossa Newsletter