Covid-19: Governo moçambicano vai hoje ao parlamento prestar contas - Plataforma Media

Covid-19: Governo moçambicano vai hoje ao parlamento prestar contas

O Governo moçambicano começa hoje a prestar esclarecimentos na Assembleia da República (AR) sobre a gestão da pandemia de covid-19, de acordo com as solicitações formuladas pelas três bancadas parlamentares ao executivo.

A Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo), partido no poder e com maioria no parlamento, submeteu ao executivo um pedido de esclarecimentos sobre as causas da subida exponencial de mortes, infeções e hospitalizações por covid-19.

O partido no poder também pretende saber mais sobre a gestão dos recursos destinados ao combate à pandemia.

A bancada da Resistência Nacional Moçambicana (Renamo), principal partido da oposição, quer explicações sobre a gestão dos fundos alocados para a luta contra o novo coronavírus.

Por seu turno, o Movimento Democrático de Moçambique (MDM), terceiro partido, pediu ao executivo informações sobre os apoios às famílias pobres e às empresas face ao impacto da doença.

A ida do Governo moçambicano à AR hoje e na quinta-feira marca a retoma das reuniões plenárias do parlamento para a primeira sessão deste ano, que decorrerá até junho, após o interregno para férias e quadra festiva.

A sessão terá ainda como destaques na agenda a informação da procuradora-geral da República (PGR) de Moçambique, Beatriz Buchili, e o debate das propostas de lei da radiodifusão e da comunicação.

Nesta sessão, os deputados serão divididos em salas para a prevenção da covid-19.

A AR moçambicana é dominada pela Frelimo, com uma maioria qualificada de 184 assentos, seguida pela Renamo, com 60, e pelo MDM, com seis deputados.

Moçambique contabiliza um total acumulado de 700 óbitos e 62.882 casos de infeção pelo novo coronavírus.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.600.802 mortos no mundo, resultantes de mais de 117 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Related posts
CulturaMoçambique

Pintor percorre seis quilómetros para vender obras em Maputo

MoçambiquePolítica

Covid-19: PR moçambicano agrava restrições face a terceira vaga da pandemia

MoçambiqueSociedade

Covid-19: Moçambique recebe hoje mais 158 mil doses de vacinas

EconomiaMoçambique

Covid-19: Moçambique recebe donativo de 96,6 ME para compra de vacinas

Assine nossa Newsletter