Cabo Verde aposta na rega com água dessalinizada - Plataforma Media

Cabo Verde aposta na rega com água dessalinizada

O Governo cabo-verdiano anunciou esta segunda-feira a inauguração da Unidade Piloto de Rega com Água Dessalinizada (UADR), para a produção hortofrutícola, localizada na Ribeira de Aguada, no município de Santa Cruz, na ilha cabo-verdiana de Santiago.

Em comunicado, o Ministério da Agricultura e Ambiente explica que a instalação do referido projeto foi feita pelo Instituto Nacional de Investigação e Desenvolvimento Agrário (INIDA) e visa garantir o aumento da disponibilidade e da qualidade de água para a agricultura.

A unidade piloto, avançou a nota a que a PANA teve acesso, tem a capacidade para irrigar uma área de aproximadamente 18.5 hectares, distribuída em 83 parcelas.

Ainda de acordo com a mesma fonte, o sistema de dessalinização instalado tem capacidade para tratar 40 metros cúbicos (m3) de água por dia, podendo ser ampliada para 100 m3, num sistema misto.

Permite obter uma qualidade de água dessalinizada “muito alta”, podendo ser usada noutros usos além da rega.

Cabo Verde quer passar a usar água dessalinizada na agricultura, para deixar de depender sempre das chuvas para o setor e evitar secas como a que enfrentou, nos últimos três anos.

Durante um encontro para recolha de subsídios e informações para a intenção do país de inovar o sector agro-pecuário, a presidente do INIDA, Ângela Moreno, reconheceu que Cabo Verde é um país que está condenado a ter uma agricultura inovadora.

“Não temos muitos recursos naturais, não temos muita chuva, mas temos um grande oceano e, no futuro, se calhar, vamos ter que pensar em usar a água dessalinizada na agricultura”, projectou Ângela Moreno.

Até agora, Cabo Verde tem apostado na dessalinização da água, mas apenas para o consumo, mas no caso da agricultura não quer depender sempre das chuvas.

Da água dessalinizada para consumo, a presidente do INIDA disse que boa parte se perde e volta novamente ao mar, pelo que avançou que outra ideia é tratar e aproveitar as águas residuais para regar grandes parcelas agrícolas em diversas ilhas.

Artigos relacionados
EconomiaSão Tomé e Príncipe

Óleo de palma exportado por São Tomé foi o dobro do cacau por quase metade do valor

SociedadeTimor-Leste

O combate para levar água às populações de Oecusse-Ambeno

China

Combate à seca em Guangdong, Guangxi, Yunnan e Zhejiang

AngolaEconomia

Agricultura familiar do Bié absorve 651,8 milhões de kwanzas

Assine nossa Newsletter