Fabricante de automóveis Tesla convocada pelos reguladores chineses por falhas de qualidade

Fabricante de automóveis Tesla convocada pelos reguladores chineses por falhas de qualidade

O fabricante de veículos elétricos Tesla foi convocado pelas autoridades chinesas após reclamações sobre falhas na qualidade, num aviso para a marca norte-americana, cujas vendas no país asiático compõem parte importante das entregas globais

A Administração Estatal de Regulação do Mercado disse que, em conjunto com mais quatro reguladores, instruiu a Tesla a respeitar as leis e regulamentos chineses e a reforçar a gestão interna, para garantir a qualidade e segurança dos seus produtos.

Trata-se de uma repreensão rara das autoridades chinesas à Tesla, a primeira montadora estrangeira a operar uma fábrica na China por conta própria, sem ter que fazer parceria com uma marca local.

Em comunicado, a Tesla Shanghai disse que “aceitou com sinceridade a orientação dos departamentos governamentais” e que “refletiu profundamente sobre as deficiências” em causa.

A marca acrescentou que vai investigar as reclamações dos consumidores chineses e obedecer às leis e regulações do país.

A mensagem pública dos reguladores chineses surge numa altura em que a fabricante de veículos elétricos de Palo Alto, no estado norte-americano da Califórnia, aumenta a produção do veículo compacto Modelo Y na sua fábrica em Xangai, a “capital” económica da China.

Esta também segue as recentes solicitações para recolha de automóveis às oficinas, a nível global, do veículo desportivo Model X, fabricado nos EUA, e do sedan Model S, que afetou os modelos importados da China.

O mercado chinês é cada vez mais importante para a Tesla. As vendas no país asiático, no ano passado, ajudaram a empresa a atingir cerca de 500.000 entregas de veículos em todo o mundo, num valor recorde para a marca.

A Tesla disse que o aumento da produção do Modelo Y na China ajudará a compensar o menor volume de vendas dos veículos Modelo S e Modelo X nos Estados Unidos.

O escrutínio público das empresas ocidentais que atendem aos consumidores chineses não é incomum e muitas vezes é alimentado pela imprensa estatal.

O escrutínio ocorre também numa altura em que a Tesla enfrenta concorrência crescente no emergente mercado chinês de veículos elétricos. A ‘startup’ de veículos elétricos chinesa NIO Inc. revelou um quarto modelo de produção, no mês passado. A Li Auto Inc. e a Xpeng Inc, duas outras ‘startups’ chinesas também estão a ganhar impulso, com a introdução de novos modelos no mercado.

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter