Aung San Suu Kyi pede à população para se opor a "ditadura militar" - Plataforma Media

Aung San Suu Kyi pede à população para se opor a “ditadura militar”

A líder de Myanman, Aung San Suu Kyi, foi detida pelas Forças Armadas birmanesas. O Exército declarou o estado de emergência e assumiu o controlo do país durante um ano.

Opartido da líder de Myanmar, Aung San Suu Kyi, detida pelo Exército, apelou à população para que se oponha ao golpe de Estado e ao regresso a uma “ditadura militar”.

A Liga Nacional para a Democracia (LND), que venceu as eleições de novembro com grande vantagem, publicou um comunicado na rede social Facebook, em nome de Aung San Suu Kyi, afirmando que as ações dos militares são injustificadas e violam a Constituição e a vontade popular.

De acordo com a agência de notícias France-Presse (AFP), terá sido a própria Aung San Suu Kyi quem “deixou esta mensagem à população”, segundo explicou no Facebook o presidente do seu partido, Win Htein.

O Exército de Myanmar declarou o estado de emergência e assumiu o controlo do país durante um ano, informou um canal televisivo controlado por militares, após a detenção da chefe de facto do Governo, Aung San Suu Kyi, do Presidente do país, Win Myint, e de outros líderes governamentais.

De acordo com a promessa deixada pelo Exército, o objetivo é organizar novas eleições quando terminar o estado de emergência de um ano.

“Estabeleceremos uma verdadeira democracia multipartidária”, anunciaram os militares num comunicado publicado na rede social Facebook, acrescentando que o poder será transferido após a realização de “eleições gerais livres e justas”.

Os bancos fecharam pouco depois da proclamação dos militares, segundo um comunicado da Associação de Bancos do país, estando as comunicações e o acesso à internet condicionados.

Leia mais em Diário de Notícias

Artigos relacionados
Política

Myanmar: líder deposta Aung San Suu Kyi enfrenta nova acusação

MundoPolítica

Seis manifestantes mortos no dia mais violento da repressão em Mianmar

MundoPolítica

Greve marcada para hoje apesar da crescente violência nas ruas do Myanmar

MundoPolítica

Centenas de milhar protestam em Myanmar após alerta da ONU sobre violência

Assine nossa Newsletter