Com crise climática, América Central vê escalada de homicídios de ambientalistas - Plataforma Media

Com crise climática, América Central vê escalada de homicídios de ambientalistas

Região lidera ranking per capita de mortes de ativistas, e comunidades sentem as consequências de furacões, secas e enchentes

Quando as ameaças de morte aumentaram, Amaru Ruiz decidiu ir embora. Presidente da Fundación del Río, organização que atua há 30 anos no desenvolvimento sustentável de reservas biológicas na Nicarágua, o ambientalista viu o governo cassar a pessoa jurídica da ONG —o que a impedia de atuar no território— e seus colegas emigrarem por medo.

“Foi uma migração forçada que me fez ficar longe do meu filho, do meu círculo familiar”, diz ele à Folha por videochamada, da Costa Rica. “Ainda assim, continuamos trabalhando do exílio. Com um nível inferior de capacidade, mas seguimos apoiando as comunidades indígenas e monitorando a reserva.”

Leia mais em Folha de S.Paulo.

Artigos relacionados
AngolaPolítica

Protecção da biodiversidade nas prioridades do país

MacauSociedade

Pandemia melhora qualidade do ar em Macau em 2020

MundoSociedade

One Planet: Mudanças sérias ou mais do mesmo “bla bla bla”?

BrasilMundo

Perda de florestas mais velhas reduz diversidade da Mata Atlântica

Assine nossa Newsletter