Covid-19: OMS desaconselha medicamento no qual Portugal investiu 35 milhões de euros - Plataforma Media

Covid-19: OMS desaconselha medicamento no qual Portugal investiu 35 milhões de euros

Peritos escolhidos pela DGS para avaliar tratamentos contra o coronavírus discutem esta sexta-feira o tema. OMS teme efeitos secundários e custos elevados para os sistemas de saúde.

Os peritos da Organização Mundial de Saúde (OMS) decidiram desaconselhar o uso do remdesivir contra a Covid-19. Este foi o primeiro medicamento aprovado contra a doença e é até agora um dos dois, únicos, indicados pelas autoridades de saúde.

Em Portugal, como em todo o mundo, o fármaco já foi usado em centenas ou milhares de doentes e o Governo avançou, em outubro, com a compra de 100 mil frascos, num investimento previsto de 35 milhões entre outubro e março.

Segundo a OMS os resultados são não apenas incertos como podem fazer mais mal do que bem.

A OMS já tinha divulgado a 15 de outubro um estudo que concluía que o antiviral remdesivir não apresentava resultados eficazes na prevenção da morte dos pacientes, mas agora vai mais longe, através do seu grupo que acompanha aquilo que se vai fazendo na investigação científica sobre a pandemia (o Guideline Development Group), passando a desaconselhar o uso por não haver evidência de que melhore a sobrevivência ou reduza as necessidades de usar ventiladores.

A nova recomendação, lida pela TSF e publicada numa das mais prestigiadas revistas científicas da área, baseia-se numa revisão de estudos que envolveram 7 mil doentes.

Leia mais em TSF

Artigos relacionados
MoçambiquePortugal

Portugal e Rede Aga Khan doam material médico à província de Maputo

PortugalSociedade

Pandemia está a causar mais mortes de portugueses em casa

PortugalSociedade

Hospitais já começaram a selecionar doentes que vão receber cuidados intensivos

Assine nossa Newsletter