Inteligência Artificial traz de volta adolescente morto a tiro - Plataforma Media

Inteligência Artificial traz de volta adolescente morto a tiro

Joaquin Oliver, filho de Manuel e Patricia Oliver, foi uma das 17 pessoas mortas na escola secundária Marjory Stoneman Douglas em Parkland, Flórida, por um ex-aluno.

Os pais do adolescente assassinado no tiroteio escolar mais mortal dos EUA foram abordados por uma agência de publicidade para ressuscitar digitalmente o seu filho para produzir um vídeo eleitoral.

“Dissemos logo que sim”, afirmaram os pais de Joaquin.

Joaquin Oliver morreu aos 17 anos, a 14 de fevereiro de 2018. Desde aí, Manuel e sua esposa Patricia Oliver têm dedicado as suas vidas à erradicação das armas.

Primeiro, forneceram à agência fotos de seu filho falecido. Um ator qparecido com Joaquin gravou a mensagem. De seguida, usando inteligência artificial (IA), o rosto de Joaquin foi mapeado no do ator, como uma máscara digital.

O vídeo foi publicado no início deste mês em www.unfinishedvotes.com e YouTube, onde recebeu cerca de 150.000 visualizações.

No entanto o vídeo está a ser alvo de várias críticas no Youtube, que acusam a família de falta de ética por utilizarem o filho para colocar palavras na boca dele.

Manuel, pai de Joaquin Oliver, acredita que este “é um exemplo perfeito do lado bom dessas tecnologias”. Numa resposta aos internautas que criticam a família, Manuel considera falta de ética a forma como os políticos norte-americanos lidam com a violência no país.

A tecnologia de Inteligência Artificial também tem o seu lado negativo. Existem a circular pela internet, os chamados “deepfakes”, vídeos altamente realistas gerados por IA, que se tornaram notórios por colocar palavras na boa de políticos ou rostos de celebridades em vídeos pornográficos.

Tim Jones, diretor executivo de criação da McCann New York, disse que estendeu a mão aos Olivers com a sua “ideia maluca”, sem saber como reagiriam.

Jones também é pai e sabe que a questão ética e emocional nesta situação seria “uma linha muito ténue”.

De acordo com os pais, o discurso foi inspirado no que Joaquin acreditava e escrevia sobre. “Podem ir e verificar o Twitter dele”, diz Patricia, mãe de Joaquin.

“O Joaquin também era o meu melhor amigo. Por isso, quando se tem um melhor amigo há mais de 17 anos, sabe-se exactamente como ele pensa, como reage às coisas”, acrescentou Manuel.

Relativamente à Inteligência Artifical, o obstáculo foi enorme. Normalmente, para reconstruir uma pessoa é necessário milhares de imagens mas, no caso de Joaquin, o material à disposição não era suficiente. Tim Jones acrescenta que o facto de ser adolescente e o rosto mudar muito a cada dia também não ajudou.

Ao todo, levou seis meses para que o Lightfarm Studios do Brasil conseguisse concluir a produção. Não é perfeito, mas é “muito, muito próximo de Joaquin”, disse Manuel. A voz é uma versão ligeiramente alterada da do ator, porque não havia gravações suficientes de Joaquin.

Este artigo está disponível em: English

Artigos relacionados
FuturoMacau

Universidade de Macau desenvolve autocarro sem condutor em projecto pioneiro

MundoSociedade

Hospitais KIWI: O futuro da medicina

CulturaFuturo

IA: Conheça um compositor que não precisa de pausas

Futuro

Microsoft lança novas ferramentas para evitar criação de "deepfakes"

Assine nossa Newsletter