Atribuídos Prémios da Ciência Ananás 2020 - Plataforma Media

Atribuídos Prémios da Ciência Ananás 2020

Estudos sobre o desaparecimento das colheres de chá, métodos mais higiénicos para terminar relações e os limites da “escala de náusea”

Na passada noite de dia 18, uma série de desenvolvimentos científicos foram galardoados com os Prémios da Ciência Ananás, atribuídos na China, durante o Fórum Mundial de Jovens Cientistas 2020. 

Os Prémios da Ciência Ananás são uma cerimónia apelidada de “versão chinesa dos Prémios IgNobel”, que procuram celebrar investigações científicas engraçadas e que despertem o interesse do público pela ciência. Podem parecer às vezes ridículos, porém todos os premiados têm objetivos científicos sérios. 

O Professor Val Curtis, da Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres, no Reino Unido, e o Doutor Micheal De Barra, do Departamento de Ciências da Vida na Universidade de Brunel, Inglaterra, declararam o projeto “escala de náusea” como o vencedor desta edição. 

“O que é mais nojento, encontrar um rato morto na cozinha ou levar com o cabelo malcheiroso e nojento de um estranho no metro?” Para esta “escala de náusea”, os participantes na experiência tiveram de avaliar de 1 a 100 o nível de náusea que 72 situações lhes causaram. 

“A nossa análise revela que existe uma correlação entre o que as pessoas consideram nojento e o perigo de infeção de doença. Este trabalho, apoiado ainda pela teoria da evolução biológica, poderá ter um papel importante na definição de regulamentações de saúde”, afirma Micheal De Barra. 

Uma equipa internacional com membros oriundos da Noruega, Holanda e Espanha descobriu que a ureia, encontrada em largas quantidades em urina, ajuda o cimento a endurecer. Assim sendo, a forma mais económica de construção na Lua seria através de materiais locais, juntamente com cimento e urina. Esta investigação ganhou o Prémio Fantasia. 

“Estamos a tentar criar um material de construção apenas com recursos encontrados na Lua, e fico contente por termos conseguido”, afirmou Anna-Lena Jonnickson, professora na Universidade de Ostfold, Noruega, salientando que existe uma quantidade reduzida de água na Lua, e por isso a ureia é uma boa solução encontrada no corpo humano. 

David Carrell, biólogo da Universidade do Utah, foi um dos vários cientistas que se inspirou na teoria da evolução de Darwin e venceu o Prémio de Física com o estudo sobre “Lutas entre homens com barba”. “A barba, além de um acessório atraente, segundo os resultados recolhidos, serve ainda como proteção contra o impacto, ou seja, a barba nos homens poderá ser resultado de uma seleção natural”, comenta David Carrell. 

O Instituto Australiano Burnet venceu o Prémio Matemático por explorar o mistério do desaparecimento das colheres de chá. A Universidade McGill ganhou o Prémio Psicologia pelo “método higiénico para terminar relações”. O Instituto de Física da Academia Chinesa da Ciência cobriu tampas de esgoto com fórmulas matemáticas e científicas e recebeu o Prémio Ananás U.  

Criados em 2012, os Prémios Ciência Ananás cumpriram a 9.ª edição. Ao longo dos últimos oito anos, estes prémios têm reconhecido dezenas de cientistas pelas descobertas movidas pela curiosidade. Alguns exemplos incluem “Contagem de dinheiro como combate à dor”, “Quantidade de urina encontrada numa piscina” e “Porque é que os Mosquitos não se afogam com a chuva?”

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter