Macau abre quatro centros de acolhimento de emergência devido ao tufão Nangka - Plataforma Media

Macau abre quatro centros de acolhimento de emergência devido ao tufão Nangka

As autoridades de Macau abriram quatro centros de acolhimento de emergência assim que foi emitido hoje o sinal 8 de tempestade tropical, o terceiro mais elevado da escala de alertas.

Segundo o Instituto de Ação Social, desde as 07:30 (00:30 em Lisboa) que está a funcionar o Centro de Abrigo de Tempestade Tropical da Ilha Verde, Campo dos operários da Associação Geral dos Operários de Macau, Centro de Acção Social da Taipa e Coloane (Sucursal da Taipa) e Escola Superior das Forças de Segurança de Macau.

No momento em que o território entrou em estado de prevenção imediata, o chefe do Executivo interino, André Cheong, deslocou-se ao Centro de Operações de Protecção Civil “para se inteirar do ponto de situação dos trabalhos apresentados pelos membros da estrutura da proteção civil e dar as devidas instruções em resposta ao tufão Nangka”, pode ler-se numa nota divulgada pelas autoridades.

Os Serviços Meteorológicos e Geofísicos de Macau (SMG) subiram o alerta de tempestade tropical para sinal 8 e as escolas suspenderam as aulas, verificando-se também a interrupção nos serviços de transporte público.

O tufão Nangka continuava a aproximar-se de Macau e estava a pouco mais de 400 quilómetros a sul do território, com as autoridades a voltaram a alertar para a possibilidade de inundações nas zonas baixas da cidade.

Os Serviços de Saúde abriram de forma especial os centros de saúde de Tap Seac, Fai Chi Kei, Areia Preta, Ilha Verde, São Lourenço, Jardins do Oceano, Nossa Senhora do Carmo-Lago, o Posto de Saúde de Coloane e o Posto de Saúde Provisório de Seac Pai Van, para prestar apenas serviços de urgência.

Ficaram suspensos os serviços do Centro de Saúde do Porto Interior, do Centro de Exame Médico para Funcionários Públicos e do Centro de Prevenção e Tratamento de Tuberculose.

Vinte parques de estacionamento públicos situados nas áreas baixas de Macau encerraram, igualmente.

Nas pontes, o vento pode atingir, ocasionalmente, o nível forte, com rajadas que podem chegar aos 180 quilómetros por hora.

A circulação nas três pontes que ligam a península de Macau às ilhas e a ponte Flor de Lótus foi interrompida, tendo sido aberto o tabuleiro inferior da Ponte Sai Van.

“Solicita-se a atenção dos condutores. Apela-se aos residentes e aos condutores para se deslocarem, o mais rápido possível, para um local seguro e se protegerem do tufão, evitando atividades ao ar livre e conduzir motociclos nas pontes”, avisaram as autoridades.

O SMG adiantou ainda que é baixa a possibilidade de subir para o nível 9 de alerta de tempestade tropical.

A escala de alerta de tempestades tropicais é formada pelos sinais 1, 3, 8, 9 e 10, que são emitidos tendo em conta a proximidade da tempestade e a intensidade dos ventos.

Para este ano, as autoridades de Macau disseram prever quatro a seis tempestades tropicais no território, algumas delas podendo mesmo “atingir o nível de tufão severo ou super tufão”.

Desde 2017, dois tufões obrigaram as autoridades a emitir o alerta máximo. Em setembro de 2018, a passagem do tufão Mangkhut por Macau deixou prejuízos económicos diretos e indiretos no valor de 1,74 mil milhões de patacas (180 milhões de euros).

O Mangkhut provocou 40 feridos e inundações graves no território, onde o sinal máximo de tempestade tropical esteve içado várias horas. Ao todo, as autoridades retiraram 5.650 cidadãos das zonas baixas e 1.346 pessoas recorreram a centros de abrigo de emergência.

Um ano antes, o tufão Hato (posteriormente denominado de Yamaneko pelas autoridades locais), apesar de se caracterizar pela mesma intensidade do Mangkhut, causou 10 mortos, 240 feridos e prejuízos avaliados em 12,55 mil milhões de patacas (1,32 mil milhões de euros).

Assine nossa Newsletter