Macau reabre espaço de lazer, mas discrimina a parte da população que a usa mais - Plataforma Media

Macau reabre espaço de lazer, mas discrimina a parte da população que a usa mais

Churrasco da praia de Hac-Sá reabre no próximo fim-de-semana só para residentes

O Instituto para os Assuntos Municipais (IAM) decidiu reabrir o espaço de lazer com churrasqueiras que existe na praia de Hac-Sá, em Coloane, no próximo dia 16 de outubro.

Como forma de proceder à gestão do local de acordo com as orientações específicas de prevenção da epidemia para a zona de churrasco emitidas pelos Serviços de Saúde, incluindo o controlo do fluxo de pessoas. E esse controlo passará por vedar o acesso de não-residentes, precisamente a franja da população que mais usa aquele local.

Estarão disponíveis 55 grelhadores com marcação prévia em site dedicado, sendo que sendo os horários de utilização das duas sessões será das 11h30 às 17h30 e das 18h00 às 23h59.

Relativamente à marcação, considera-se uma fase a cada período de 14 dias. A primeira fase de marcação será levada a cabo entre 16 e 29 de Outubro e os cidadãos, refere o IAM, poderão efectuar a inscrição a partir das 9 horas da manhã do dia 12 de Outubro. Já a segunda fase irá abranger a marcação para as datas entre 30 de Outubro e 12 de Novembro, abrindo as inscrições a partir do dia 26 de Outubro.

Cada residente de Macau com requerimento admitido pode trazer três familiares e amigos para a zona, sendo o número máximo de utilizadores de cada grelhador para churrasco de quatro pessoas. Todos que entrem na zona de churrasco têm de exibir o Código de Saúde de Macau válido no próprio dia e submeter-se à medição de temperatura corporal no local. É obrigatório o uso de máscara, que só pode ser removida durante o consumo.

Artigos relacionados
BrasilSociedade

Senado brasileiro aprova inclusão de discriminação racial e sexual como agravantes em crime

MacauSociedade

Macau termina com discriminação e alarga acesso a zonas de churrasco

BrasilLifestyle

Daniela Mercury pede reunião com Fux sobre homofobia: "Não existe direito de discriminar"

AngolaPolítica

Angola está a formar peritos em discriminação racial

Assine nossa Newsletter