Carlos Cunha: Um grande ponto para a democracia angolana - Plataforma Media

Carlos Cunha: Um grande ponto para a democracia angolana

Na opinião do empresário Carlos Cunha, com a criação do Conselho Económico e Social, o país marcou um passo muito sério para o fortalecimento da democracia. “A democracia marcou um grande ponto”, destacou.

Carlos Cunha disse ser hora de deixar de se perder tempo com “lamúrias e dramas” para se consumir mais tempo pensando em soluções. “Temos que nos colocar mais do lado das soluções do que dos problemas, no sentido de nos questionarmos sobre o que consta do meu curriculum de ter feito pela Nação?”, aclarou o empresário, para quem, se essa for a postura, Angola nunca mais será a mesma.

O empresário considerou os critérios de selecção dos conselheiros como não partidários e escolhidos apenas com base na meritocracia. Disse estarem no grupo cidadãos muito fortes e detentores do saber. “Aqui estão figuras, muitas das quais, antes ostracizadas e esquecidas, mas que, agora, vão dar o melhor de si. Estou muito feliz com o que aconteceu”, realçou Carlos Cunha, acrescentando não haver listas perfeitas.

A economista Laurinda Hoygaard considerou o dia de ontem como um marco para o país. O surgimento do Conselho Económico e Social, a seu ver, trata-se de uma iniciativa que vai incorporar, cada vez mais, conhecimento técnico, científico, “sendo essa uma questão central que dever ser acentuada”. A académica acredita que o órgão vai enriquecer os contributos para que, cada vez mais, se tenha uma vida melhor no país para toda a população.

Leia mais em Jornal de Angola

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter