Trump registou marca em Cuba em 2008 para construir hotéis

Trump registou marca em Cuba em 2008 para construir hotéis

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, registrou sua marca em Cuba em 2008 para construir hotéis, cassinos e campos de golfe. É o que afirmou a imprensa local de Miami nesta terça-feira (22), que identificou documentos disponíveis online de um departamento estatal cubano.

O presidente, que baseia sua campanha eleitoral pela reeleição na Flórida em um duro discurso anti-socialista, registrou a marca “Trump” em Cuba para dezenas de empresas e serviços vinculados ao mercado imobiliário, hotéis, restaurantes e eventos esportivos e de beleza, apurou o jornal Miami Herald.

Uma pesquisa no site do Gabinete Cubano de Propriedade Industrial mostra, na guia “Marcas”, o pedido de registro em nome de Donald J. Trump no endereço de Nova York da Trump Organization. A solicitação foi realizada em 2008 e aprovada em 2010. Ela expirou em 2018, dois anos após Trump ter conquistado a presidência.

Segundo o Herald, o magnata do mercado imobiliário não violou o embargo que Washington impõe a Havana, mas em 1999 havia garantido em um discurso perante a Fundação Nacional Cubano-Americana que não faria negócios com Cuba enquanto Fidel Castro ou seus seguidores estivessem no poder.

Ao falar de negócios que lhe foram oferecidos na ilha comunista, disse na época: “Eu os rejeitei, argumentando que irei quando Cuba for livre”. E adicionou: “investir dinheiro em Cuba agora não vai para o povo cubano. Vai para o bolso de Fidel Castro”.

O presidente anterior, Barack Obama, havia iniciado uma reaproximação comercial e diplomática com Cuba que culminou com uma visita à ilha em 2016, o que foi interpretado como uma traição por cubanos anticastristas na Flórida.

Desde que assumiu o cargo, Trump endureceu a postura de Washington contra a ilha, o que lhe rendeu o apoio incondicional da comunidade cubano-americana, importante grupo eleitoral que pode definir o voto no estado.

Em resposta à reportagem do Herald, o candidato democrata à presidência, Joe Biden, afirmou em nota que “é claro que o presidente Trump não se preocupa com a liberdade do povo cubano, ele só tem interesse em si mesmo, mesmo que isso signifique fazer negócios com os Castro”.

A noção de que uma vitória de Biden levaria o país por um caminho socialista é um dos principais argumentos da campanha de Trump para atrair o voto dos latinos na Flórida.

Related posts
MundoSociedade

'Tsunami no deserto' no Vale da Morte dos EUA após terremoto no México

FuturoMundo

Foguete lunar da NASA completa teste em terra com sucesso

MundoPolítica

Congresso dos EUA vota para impedir presidentes de anularem resultados eleitorais

MundoSociedade

Ex-polícia de Minneapolis envolvido na morte de George Floyd condenado a 3 anos

Assine nossa Newsletter