Pandemia priva ensino a 463 milhões de crianças

Pandemia priva ensino a 463 milhões de crianças

A pandemia de Covid-19 privou de ensino 463 milhões de crianças, que não puderam ter aulas à distâncias, durante o período de encerramento das escolas, segundo um relatório do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) publicado esta quarta-feira (26).

“O grande número de crianças cuja educação ficou completamente interrompida durante meses é uma emergência educacional mundial”, alertou em comunicado a diretora da Unicef, Henrietta Fore.

“As repercussões poderão ser notadas nas economias e nas sociedades nas próximas décadas”, continuou.

A ONU calcula que quase 1.5 bilhão de crianças foram afetadas pelo fechamento das escolas durante o confinamento. Muitas não têm como acompanhar as aulas à distância.

O relatório se baseia nos dados recolhidos em uma centena de países e ao acesso que seus habitantes têm à internet, à televisão e à rádio.

Em ocasiões, as crianças que puderam acompanhar as aulas à distância tiveram condições desfavoráveis em casa, entre as pressões para fazer tarefas domésticas, a obrigação de trabalhar ou a ausência de apoio familiar para usar as ferramentas informáticas, explicou a Unicef.

No momento em que vários países preparam a volta às escolas, a Unicef “urge os governos a dar prioridade à reabertura segura dos estabelecimentos enquanto forem flexibilizando as restrições” contra a pandemia da Covid-19.

Este artigo está disponível em: English

Artigos relacionados
MundoSociedade

As marcas no rosto de uma enfermeira em tempos de pandemia

PolíticaPortugal

"Não vamos poder ter um Natal igual ao dos anos anteriores"

PortugalSociedade

Mais 71 mortes e 5290 novos casos de covid-19 em Portugal

FuturoMundo

Hidroxicloroquina não previne contágio nem combate a Covid-19, diz estudo

Assine nossa Newsletter