Na China, transexuais têm aceitação social muito lenta

por Guilherme Rego
Yao Minji

Uma mulher transexual que se identifica apenas com o Gao venceu em tribunal um processo no início deste ano contra o seu empregador, devido a uma licença médica que tirou após uma operação de mudança de sexo

A histórica decisão alimentou esperanças de que os velhos tabus sobre a identidade de género na China estejam lentamente a ser eliminados.

Gao trabalhou como diretora de produto na plataforma de e-commerce Dangdang. No início, como homem, passou por uma cirurgia de mudança de sexo em julho de 2018 para se tornar uma mulher e, posteriormente, foi demitida por tirar dois meses no trabalho para se recuperar.

Um tribunal decidiu que a demissão foi injustificada. A Dangdang apelou da decisão.

Enquanto o assunto estava pendente, o empregador enviou a Gao uma carta – dirigida ao Sr. Gao. Dizia basicamente que, se ela voltasse ao trabalho, teria que contratar um guarda-costas e provavelmente não poderia usar as casas de banho, fossem masculinas ou femininas.

Leia mais em inglês no Shanghai Daily.

Pode também interessar

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Plataforma Studio

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!