“Cubo de Água” passa a “Cubo de Gelo” nos Jogos de 2022 - Plataforma Media

“Cubo de Água” passa a “Cubo de Gelo” nos Jogos de 2022

A próxima edição dos Jogos Olímpicos de Inverno vai decorrer em Pequim em 2022. O Centro Aquático de Pequim construído para acolher todas as modalidades olímpicas em piscina nos Jogos de 2008, e que ficou conhecido como o “Cubo de Água”, vai agora transformar-se num “Cubo de Gelo” para receber a competição de curling durante a olimpíada de Inverno.

O curling é uma modalidade desportiva jogada por duas equipas de quatro jogadores e consiste em fazer deslizar uma pedra polida (que tem por cima uma pega) por uma pista de gelo até “um alvo” localizado numa das extremidades.

No final do ano de 2019, o Centro Aquático Nacional de Pequim completou os requisitos olímpicos básicos e organizou, para testar a nova estrutura, o primeiro evento de curling profissional no novo “Cubo de Gelo”. 

A Federação Mundial de Curling veio posteriormente confirmar a estabilidade estrutural desta transformação. Em maio deste ano o “Cubo de Gelo” voltou a transforma-se em “Cubo de Água”, no âmbito dos procedimentos técnicos destinados a completar na totalidade o processo de transformação entre gelo e água.

Depois de Pequim e Zhangjiakou terem apresentado, com êxito, a candidatura à organização dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2022, com base no conceito de “reutilização e aproveitamento completo e a longo prazo de centros desportivos” já edificados e certificados, o Centro Aquático Nacional criou um projeto para um ringue de gelo convertível, transformando uma piscina de natação numa pista de curling através de uma estrutura móvel. 

Naturalmente, esta transformação de água em gelo não é um processo simples. O curling requer um alto nível de estabilidade, qualidade do gelo e uniformidade. Natação e curling são também dois desportos com características ambientais diferentes, incluindo temperatura, nível de humidade, luz e acústica. 

Durante os últimos Jogos Olímpicos de Inverno, de acordo com as exigências da Federação Mundial de Curling, a estrutura das pistas da modalidade foi construída com recurso ao cimento coberto com gelo, garantindo tanto a estabilidade da pista como a qualidade do gelo. 

O Centro Aquático Nacional organizou um estudo amplo à estrutura, temperatura, humidade, luz e acústica para, após quase um ano de trabalhos de renovação, construir um sistema de produção de gelo, desumidificação, ar-condicionado, iluminação desportiva e controlo segundo os padrões exigidos para eventos olímpicos de curling.

Os aspetos relacionados com o desenvolvimento sustentável têm de ser apoiados por investigações nos domínios científico e da inovação. O Centro Aquático Nacional instalou em todo o centro um “sistema de controlo inteligente”, capaz de lidar com 30 tarefas diferentes em simultâneo e possibilitando, assim, a respetiva transformação, garantindo um ambiente correto para cada competição, atuação, exposição ou visita, seja em água ou gelo, durante os Jogos Olímpicos de Inverno de 2022. 

Yang Qiyong, diretor-geral do Centro Aquático Nacional, apontou que estes jogos contribuíram para a reputação, qualidade e redução do consumo energético destes espaços, assim como uma nova fonte de receitas decorrentes da respetiva utilização. Sem a construção de novos estádios e infraestruturas especificamente destinadas para acolher a edição dos jogos em 2022, o montante investido foi largamente reduzido, esclareceu. A “conversão de água em gelo” foi relativamente económica, como é possível confirmar pelos valores indicadores, concluiu. 

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter