São Paulo duplica produção da vacina da covid - Plataforma Media

São Paulo duplica produção da vacina da covid para exportar para América Latina

Governador do estado de São Paulo anunciou que está a angariar fundos para expandir a fábrica. A intenção é iniciar produção em outubro, caso imunização seja aprovada, duplicando a quantidade prevista, o que vai permitir exportar para os vizinhos da América Latina.

O governador João Doria (PSDB) anunciou nesta quarta (29) que o Instituto Butantã pretende dobrar a sua capacidade de produção da vacina Coronavac contra o coronavírus, atualmente na terceira e final fase de testes.

Atualmente, o instituto tem capacidade de produzir 60 milhões de doses, mas pretende dobrar essa quantidade, chegando a 120 milhões. São necessárias duas doses por paciente para ocorrer a imunização.

O governo se reuniu com o mais de 200 empresários virtualmente para buscar doações que possibilitem esse aumento. “Nós já conseguimos um compromisso de R$ 96 milhões de um total de R$ 130 milhões, que representa o valor da meta para dobrar a produção”, disse o governador.

Doria afirmou ainda que instituições públicas e privadas de outros países latino-americanos procuraram o Instituto Butantã para buscar informações sobre a produção da vacina. A ideia é que o aumento de capacidade de produção do imunizante possibilite sua exportação para outros países.

Segundo o diretor do Butantã, Dimas Covas, isso é possível, uma vez que o acordo com a empresa chinesa Sinovac, criadora da vacina, prevê o financiamento e o controle do estudo pelo instituto a partir da fase três.

Ele também explicou que o contrato permite ao Butantã começar a produzir e envasar a vacina a partir de outubro deste ano, e a expectativa é que, se os testes forem concluídos com sucesso e tudo der certo, a vacina fique pronta a partir de janeiro do ano que vem.

Leia mais em Folha de S. Paulo

Assine nossa Newsletter