Coreia do Norte acha "desnecessária” a retoma do diálogo com os Estados Unidos - Plataforma Media

Coreia do Norte acha “desnecessária” a retoma do diálogo com os Estados Unidos

A vice-ministra das Relações Externas da Coreia do Norte considerou hoje “desnecessário” retomar o diálogo com os Estados Unidos e criticou a Casa Branca por usar “truques” para “se aproximar” do regime de Pyongyang.

“É desnecessário sentar e conversar com os Estados Unidos, que veem o diálogo bilateral como uma ferramenta para gerir a sua crise política”, disse a vice-ministra das Relações Exteriores da Coreia do Norte, Choe Son-hui.

Citada pela agência oficial do regime de Pyongyang, KCNA, Choe defendeu que “não há necessidade de falar muito” entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte e sustentou que a política deste último país “não será ajustada ou alterada por variáveis como a agenda política interna de alguém”.

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, e o Presidente dos EUA, Donald Trump, encontraram-se três vezes desde 2018, a última vez em junho do ano passado, a fim de chegar a um acordo para a desnuclearização da península coreana, mas o diálogo está parado.

A responsável norte-coreana refere-se a intermediários que não identifica que procuram aproximar Washington e Pyongyang, embora sejam “partes diretamente interessadas”, aludindo à possibilidade de ocorrer uma nomeação antes das eleições presidenciais dos EUA, em novembro próximo.

Essa menção pode apontar, segundo a agência EFE, para declarações recentes do presidente sul-coreano Moon Jae-in, que garantiu que trabalhará no sentido de Trump e Kim poderem reunir-se antes das eleições de novembro.

Choe acusou ainda os Estados Unidos de usar “truques” para se aproximar da Coreia do Norte e considera um “erro” pensar que Washington pode mover Pyongyang “conforme a sua conveniência”.

“Já elaboramos o cronograma estratégico mais detalhado para controlar a ameaça prolongada do lado norte-americano”, afirmou.

Artigos relacionados
MundoPolítica

Caso Gui Minhai: Ex-embaixadora sueca em Pequim absolvida

BrasilMundo

Irão vê Bolsonaro como 'homem pragmático', diz novo embaixador

Assine nossa Newsletter