"Sabia que estava viva quando ouvia o bip do termómetro. Era a isso que me agarrava" - Plataforma Media

“Sabia que estava viva quando ouvia o bip do termómetro. Era a isso que me agarrava”

Paula e João são casados há 27 anos. Os dois tiveram covid-19. Ela esteve 68 dias internada no Hospital Curry Cabral, correu risco de vida. Ele foi o primeiro a ter sintomas e a ser internado, ficou 22 dias. Quando acordaram não se mexiam, não falavam. Tiveram de reaprender tudo

Paula e João foram dos primeiros doentes com covid a entrar no Hospital Curry Cabral. Ele a 13 março, ficou 22 dias. Ela a 15, e por 68 dias. No dia 16, ambos foram para os cuidados intensivos. Ficaram lado a lado, sem saberem. O amor deles é assim, “unidos na saúde e na doença”, brincam. Ali, João esteve dez dias, Paula 38. Quando acordaram, não falavam, não se mexiam, não sabiam o que acontecera. João pensou que tinha sido raptado, Paula que o mundo estava em guerra. Era o primeiro sinal do sofrimento que a doença traz agarrado a ela: pesadelos terríveis, um medo intenso de não saber se se está vivo ou não, e alucinações. Um mês depois da alta de Paula, contam como foi. A normalidade chega aos poucos, mas com algumas sequelas.

Leia mais em Diário de Notícias.

Related posts
MundoSociedade

Covid-19: Bruxelas chega a acordo com Moderna sobre entrega de novas doses

Sociedade

Quarentena já não é obrigatória na Áustria para casos positivos

Sociedade

Estudos apontam mercado de Wuhan na China como início da Covid-19

ChinaMacau

Lei Chan U diz que gestão da pandemia está “desligada da realidade”

Assine nossa Newsletter