IGREJA PATRIÓTICA ESTENDE A MÃO AO VATICANO - Plataforma Media

IGREJA PATRIÓTICA ESTENDE A MÃO AO VATICANO

 

A Igreja Patriótica Católica da China, instituição que regula as atividades desta religião no país e não reconhece a autoridade do Vaticano, ofereceu à Santa Sé a possibilidade de rever em conjunto a nomeação dos bispos. A instituição oficial chinesa espera que o Vaticano responda à oferta no início de 2015, de acordo com o jornal oficial Global Times.

“O Vaticano parece esperar mais acordos além da nomeação dos bispos, como a anulação da Igreja Patriótica, mas isso não é provável”, disse uma fonte próxima das negociações, cujo nome não foi revelado, em declarações ao jornal de Hong Kong Wen Wei Po. Segundo o jornal, a Igreja Patriótica oferece ao Vaticano várias opções, entre elas que a instituição chinesa, dependente do Partido Comunista, eleja de forma preliminar os candidatos a um determinado bispado e seja o Papa depois a escolher entre eles.

A nomeação de bispos na China é o principal motivo de desacordo entre Pequim e a Santa Sé, que cortaram relações diplomáticas em 1951, quando o Papa Pio XII excomungou dois bispos chineses rejeitados por Roma.

A China não permite que Roma tenha a última palavra nas nomeações, já que considera a influência de outro país em altos cargos no seu território como uma “interferência nos assuntos internos”.

Existem entre oito e 12 milhões de católicos na China, divididos entre os da Igreja Patriótica oficial e os da “clandestina”, em comunhão com Roma e perseguida por Pequim, segundo dados oficiais do Vaticano.

 

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter