RELANÇADA PRODUÇÃO DE CAFÉ EM BENGUELA - Plataforma Media

RELANÇADA PRODUÇÃO DE CAFÉ EM BENGUELA

 

A produção de café arábica foi relançada em setembro, na comuna do Chikuma, município da Ganda (Benguela), pelo governador da província, Isaac Maria dos Anjos, no âmbito do programa de fomento desta espécie do bago vermelho na região.

 

Cerca de 50 mudas, dos três mil pés de café disponíveis, foram plantadas na altura, numa área de três hectares de terras aráveis preparadas, em ato participado pelo governador da província.

Com uma área de 115 hectares, a fazenda onde foi relançada a produção está sob a gestão da associação dos cafeicultores e agricultores locais. Com vista a incentivar a produção do café e cultivos de cereais, o governador Isaac dos Anjos entregou seis tratores com respetivas alfaias, 15 motobombas e seus equipamentos agrícolas.

Já na aldeia rural da Katamba (Casseque), com 50 famílias camponesas envolvidas no relançamento da produção de cereais, num perímetro irrigado de 50 hectares, o governador procedeu igualmente à entrega de cinco tratores e 10 motobombas para o apoio à produção.

Falando aos camponeses da Katamba, Isaac dos Anjos, afirmou estar comprometido com a resolução de todos os problemas ainda existentes, destacando as obras de conclusão das 50 casas e infraestruturas da aldeia rural, requalificação urbana da cidade da Ganda, sobretudo a reciclagem e recuperação do sistema da água como prioridade.

Por isso, disse contar com prestação dos serviços de outras empresas de construção civil para seu acabamento, tendo apelado aos camponeses a engajarem-se nas atividades para aumento da produção agrícola e recuperar os canais de irrigação.

O governador incentivou por outro lado, as mulheres camponesas para trabalharem também com os tratores postos à disposição e defendeu a necessidade do aproveitamento racional das tecnologias atualmente disponíveis, cujo trator e motobombas, que constituem uma das ferramentas mais sensíveis para melhorar e aumentar áreas de produção agrícola.

Os tratores e motobombas estão orçados em cinco milhões de kwanza (cerca de 50  mil dólares), cujos seus credores devem reembolsar no prazo de 30 meses.

 

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter