SANDS PROCESSADO POR ANTIGO SÓCIO - Plataforma Media

SANDS PROCESSADO POR ANTIGO SÓCIO

 

Sheldon Adelson

Sheldon Adelson

Um antigo associado em Macau do Sands Corp, de Las Vegas acusou o operador de apropriação de segredos de negócio e está a exigir uma indemnização de cinco mil milhões de dólares norte-americanos pelo que considera lucros que lhe são devidos, em função de direitos conjuntos na obtenção de uma licença para a atividade de jogo na RAEM.

A empresa Asian American, liderada pelo empresário de Taiwan Marshall Hao, apresentou na última semana uma queixa no tribunal de Nevada, estado norte-americano, em adição a dois processos que decorrem em Macau, por alegada quebra de contrato

O Las Vegas Sands, de Sheldon Adelson, e a Asian American apresentaram em conjunto uma proposta para a exploração de casinos de Macau, em 2002, mas no decurso do processo, a Sands mudou de parceiro, juntando-se ao grupo de Hong Kong Galaxy Entertainment. Esta parceria acabaria por ganhar uma licença, sobre concorrentes que incluíam MP Entertainment Company Limited, MGM-Grand Macau Limited, e Macau Star Limited, este uma subsidirária Genting Bhd, da Malásia.

Segundo a agência Bloomberg, no processo entregue em Nevada, refere-se que o documento alegadamente apropriado pela Sands, e acusado de ter sido “sub-repticiamente partilhado” com a Galaxy, continha um plano de negócio que incluía ‘resorts’ temporários, modelos de negócio e uma lista de arquitetos para colaborarem nos empreendimentos.

 

WYNN INVESTIGADO PELO COMISSARIADO CONTRA A CORRUPÇÃO

Entretanto, o Comissariado contra a Corrupção (CCAC) anunciou na última semana o lançamento de uma investigação sobre um negócio de terrenos, envolvendo o casino Wynn, na sequência de um pedido da International Union of Operating Engineers.

Esta organização baseada nos Estados Unidos pretende ver esclarecidos os contornos de um negócio que, sustenta, tornou uma pequena e pouco conhecida empresa na detentora de direitos de terrenos, antes destes serem transferidos para a Wynn. Estes terrenos, no Cotai, destinam-se à construção do segundo casino em Macau de Steve Wynn, que se chamará Wynn Palace, e tem abertura prevista para o primeiro semestre de 2016.

Numa resposta citada pela agência Reuters, o CCAC confirma ter aberto uma investigação ao caso m,as não adiantou mais pormenores sobre a iniciativa. A mesma agência refere que o casino garantiu não ter sido ainda contactado por qualquer órgão da RAEM, mas assumiu disponibilidade para total cooperação.

Na última semana, os Serviços de Solos, Obras Públicas e Transporte refereriram que a concessão do terreno seguiu todos os procedimentos legais. Segundo a Reuters, na transação, em 2008, a Wynn pagou 50 milhões de dólares à empresa Tien Chiao, registada em Macau.

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter