IMPACTO DO MUNDIAL NA ECONOMIA BRASILEIRA EM DÚVIDA - Plataforma Media

IMPACTO DO MUNDIAL NA ECONOMIA BRASILEIRA EM DÚVIDA

Há quatro anos, um estudo do Consórcio Copa, encomendado pelo Ministério do Esporte brasileiro apontava para cerca de de  183,2 mil milhões de reais (82,3 mil milhões de dólares), o ganho da economia brasileira com o Mundial de 2014, por por um prazo de cinco anos, dos quais R$ 47,5 mil milhões diretos, e os restantes R$ 135,7 mil milhões indiretos. Hoje, essas expectativas arrefeceram bastante.

Segundo um estudo divulgado em maio pelo banco alemão Berenberg e pelo Instituto de Economia Mundial (HWWI), de Hamburgo, são muito menores as consequências reais da organização da Copa na economia brasileira e que será a FIFA a verdadeira beneficiária. A confederação mundial de futebol estima que lucrará cerca de 10 mil milhões de reais com a prova.

“Os efeitos económicos positivos da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos são para os países-sede, na maioria das vezes, insignificantes,  mas tais megaeventos podem servir de impulso para a modernização dos países”, disse o economista do Banco Berenberg, Jörn Quitzau. O economista Henning Vopel, do HWWI, acrescentiou: “As análises de custo-benefício realizadas antes de um evento como esse geralmente exageram quanto aos efeitos positivos”. Já em março deste ano, a Moody’s tinha alertado para que o impacto da chegada ao Brasil de mais de 3,6 milhões de turistas para o Mundial poderia ser atenuado perante o número de dias trabalhados na indústria e no comércio do País. Ainda de acordo com a agência, o Brasil deve obter um crescimento de meros 0,4% do Produto Interno Bruto (PIB), por um prazo de dez anos, contados de 2010 a 2019.

 

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter