China suspende jogos da Argentina após ausência de Messi em Hong Kong

Dirigentes desportivos na China cancelaram dois jogos de exibição envolvendo os campeões mundiais Argentina, depois de Lionel Messi não ter comparecido para jogar pelo seu clube numa partida de exibição em Hong Kong.

por Nelson Moura

A Argentina tinha anunciado uma digressão na China de 18 a 26 de março, durante a qual enfrentaria a Nigéria em Hangzhou e a Costa do Marfim em Pequim.

Mas na semana passada, um jogo amigável de alto perfil entre o Inter Miami e uma seleção em Hong Kong provocou vaias e pedidos de reembolso, depois de Messi não ter entrado em campo, citando lesão.

Alguns políticos e meios de comunicação nacionalistas interpretaram a ausência na vitória por 4-1 do Inter Miami – e a subsequente aparição de Messi num jogo semelhante no Japão – como um desrespeito à China, sem apresentar evidências.

“Pequim não planeia, por enquanto, organizar o jogo no qual Lionel Messi iria participar”, disse a Associação de Futebol de Pequim, que supervisiona o futebol na capital, num comunicado à imprensa no sábado. O jogo em Hangzhou já tinha sido cancelado na sexta-feira à noite.

“Dadas as razões que todos conhecem, segundo as autoridades competentes, as condições para o evento acontecer não são atendidas”, disse o Gabinete de Desportos de Hangzhou.

Amplamente considerado o melhor jogador da sua geração, Messi é um desportista altamente comercializável pelo qual pessoas de todo o mundo pagariam muito para ver, mesmo no ocaso da sua carreira repleta de troféus.

Os espetadores que pagaram mais de 1.000 dólares de Hong Kong (125 dólares americanos) para ver o jogador de 36 anos na cidade do sul da China entoaram “Reembolso!” quando ele não jogou, fizeram sinais de polegar para baixo e abafaram o co-proprietário do clube, David Beckham, com vaias enquanto ele tentava agradecer à multidão.

O governo de Hong Kong exigiu uma explicação dos organizadores do jogo, a Tatler Asia. A Tatler desde então prometeu aos espetadores um reembolso de 50 por cento.

Apenas dias após a ausência, no entanto, o vencedor do prémio Ballon d’Or oito vezes jogou 30 minutos de um jogo amigável no Japão – causando indignação e acusações de que ele tinha discriminado a China. Messi disse que foi “má sorte” não poder jogar e que espera regressar à cidade.

O cancelamento dos jogos na China é um problema para a Federação Argentina de Futebol, que considera o gigante asiático um mercado estratégico. Em junho de 2023, a Argentina jogou um amigável em Pequim durante uma visita que resultou em contratos lucrativos com empresas locais.

Plataforma com AFP

Pode também interessar

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Plataforma Studio

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!