Entradas do Coelho na Invicta - Plataforma Media

Entradas do Coelho na Invicta

A cidade do Porto recebeu este ano e pela primeira vez as celebrações oficiais de Ano Novo Chinês em Portugal, com as autoridades da cidade a comunidade está hoje “perfeitamente integrada” na dinâmica social, econômica e cultural da cidade.

Na tarde do dia 20 de janeiro o presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira, recebeu nos Paços do Concelho, o embaixador da China em Portugal, Zhao Bentang, e vários representantes da comunidade chinesa local.

“Há cerca de 35,000 cidadãos chineses e sino-portugueses a viverem em território nacional. Trata-se da décima maior comunidade do país. No Norte vive a segunda maior comunidade chinesa em Portugal,” Moreira revelou durante a cerimónia.

“Calcula-se que residam na região 10,000 a 12,000 cidadãos chineses ou sino-portugueses, o que diz bem do peso desta comunidade no tecido social e económico nortenho. São portuenses”

Segundo o presidente da cidade a comunidade chinesa fixou-se pela primeira vez no Porto na zona da batalha a partir de 1950, estando principalmente ligados à produção de gravatas e cintos.

A comunidade cresceu e expandiu as suas atividades económicas e as primeiras gerações sino-portuguesas começaram surgir, ajudando a que a comunidade se tenha integrado no tecido social e económico da Invicta.

“Quando as coisas se complicaram na pandemia foi na República Popular da China que encontrámos o primeiro apoio para trazer para o Porto os ventiladores e as máscaras e dizer obrigado é uma maneira de ser portuense”, afirmou o autarca.

“Faço votos para que o Ano do Coelho, animal que simboliza paciência e sorte, seja de bom augúrio para as relações entre Portugal e a China, no quadro de uma situação geopolítica desejavelmente menos tensa entre ocidente e oriente”

Dragões e coelhos

Sob uma tarde de sol e ao som dos tambores, uma Dança do Dragão executada totalmente por portugueses da Escola de Artes Marciais She-Si, percorreu a entrada da autarquia e descendo a seguir para a Praça General Humberto Delgado, onde se encontravam também dezenas de pessoas.

Vários membros da comunidade chinesa entraram depois no Salão Nobre dos Paços do Concelho, com Y Ping Chow, presidente da Câmara de Comércio de Pequenas e Médias Empresas Portugal-China (CCPC-PME) e o representante das associações chinesas em Portugal, Zhang Zhenghua, a fazer discursos a apelar à prosperidade dos dois países durante o Ano do Coelho.

Durante o evento, as associações chinesas presentes doaram também cerca de 5,000 euros divididos por cinco instituições de solidariedade social, com iniciativas em áreas de apoio a idosos, sem-abrigo, vítimas de violência doméstica ou pessoas com deficiências.

O embaixador da China em Portugal, Zhao Bentang, escolheu realçar o melhorar das relações bilaterais entre a China e Portugal no ano passado.“O Presidente Xi Jinping e o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa trocaram cartas várias vezes, chegando a importantes consensos sobre a promoção do desenvolvimento da parceria estratégica
entre a China e Portugal,” o diplomata indicou.

O embaixador relembrou também que o Porto estabeleceu relações geminadas com Shanghai, Shenzhen e Macau, e realçou a abertura recente do primeiro Instituto Confúcio na cidade em 2019.

“A relação entre as duas partes tem obtido resultados frutíferos e um grande potencial”

À imprensa, o também Presidente da Liga dos Chineses em Portugal, Y Ping Chow, indicou que o remover das restrições de controlo da pandemia na China poderia significar um reinício das relações comerciais entre os dois países.

Chow realçou também que apesar de o crescimento de casos no país após a abertura, os atuais medidas exigidas em Portugal para a entrada de nacionais chineses não seriam necessárias.

Ao fim de três anos do aparecimento do SARS Cov-2, a China decidiu abdicar da estratégia de zero casos e abrir as fronteiras do país na totalidade, acabando com a obrigatoriedade de quarentena para quem entra.

No entanto, a União Europeia recomendou a apresentação obrigatória de teste negativo até 48 horas antes do embarque e testagem aleatória aos passageiros à chegada, no sentido de ser possível a sequenciação genómica do vírus a circular, medidas seguidas por Portugal.

“O Ano do Coelho significa paz e calma para o mundo, Portugal e a China […] A China está totalmente aberta e tenho a certeza que não vai trazer problemas à Europa,” Chow apontou.

“Para este Ano do Coelho desejo a paz e sem interferência política dos Estados Unidos. A comunidade chinesa quer trabalhar em paz e desenvolver a paz e a economia mundial”.

Related posts
ChinaEconomia

Já entraram 62 mil turistas em Macau; Avenida Almeida Ribeiro sem carros atraiu mais de 90 mil

ChinaEconomia

Macau bate recorde de entrada de turistas desde início da pandemia

ChinaPolítica

Xi Jinping estende saudações da Festa da Primavera a todos os chineses

ChinaEconomia

50 mil visitantes no primeiro dia dos feriados do Ano do Coelho em Macau

Assine nossa Newsletter