Início China Entradas do Coelho na Invicta

Entradas do Coelho na Invicta

Nélson Moura

A cidade do Porto recebeu este ano e pela primeira vez as celebrações oficiais de Ano Novo Chinês em Portugal, com as autoridades da cidade a comunidade está hoje “perfeitamente integrada” na dinâmica social, econômica e cultural da cidade.

Na tarde do dia 20 de janeiro o presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira, recebeu nos Paços do Concelho, o embaixador da China em Portugal, Zhao Bentang, e vários representantes da comunidade chinesa local.

“Há cerca de 35,000 cidadãos chineses e sino-portugueses a viverem em território nacional. Trata-se da décima maior comunidade do país. No Norte vive a segunda maior comunidade chinesa em Portugal,” Moreira revelou durante a cerimónia.

“Calcula-se que residam na região 10,000 a 12,000 cidadãos chineses ou sino-portugueses, o que diz bem do peso desta comunidade no tecido social e económico nortenho. São portuenses”

Segundo o presidente da cidade a comunidade chinesa fixou-se pela primeira vez no Porto na zona da batalha a partir de 1950, estando principalmente ligados à produção de gravatas e cintos.

A comunidade cresceu e expandiu as suas atividades económicas e as primeiras gerações sino-portuguesas começaram surgir, ajudando a que a comunidade se tenha integrado no tecido social e económico da Invicta.

“Quando as coisas se complicaram na pandemia foi na República Popular da China que encontrámos o primeiro apoio para trazer para o Porto os ventiladores e as máscaras e dizer obrigado é uma maneira de ser portuense”, afirmou o autarca.

“Faço votos para que o Ano do Coelho, animal que simboliza paciência e sorte, seja de bom augúrio para as relações entre Portugal e a China, no quadro de uma situação geopolítica desejavelmente menos tensa entre ocidente e oriente”

Dragões e coelhos

Sob uma tarde de sol e ao som dos tambores, uma Dança do Dragão executada totalmente por portugueses da Escola de Artes Marciais She-Si, percorreu a entrada da autarquia e descendo a seguir para a Praça General Humberto Delgado, onde se encontravam também dezenas de pessoas.

Vários membros da comunidade chinesa entraram depois no Salão Nobre dos Paços do Concelho, com Y Ping Chow, presidente da Câmara de Comércio de Pequenas e Médias Empresas Portugal-China (CCPC-PME) e o representante das associações chinesas em Portugal, Zhang Zhenghua, a fazer discursos a apelar à prosperidade dos dois países durante o Ano do Coelho.

Durante o evento, as associações chinesas presentes doaram também cerca de 5,000 euros divididos por cinco instituições de solidariedade social, com iniciativas em áreas de apoio a idosos, sem-abrigo, vítimas de violência doméstica ou pessoas com deficiências.

O embaixador da China em Portugal, Zhao Bentang, escolheu realçar o melhorar das relações bilaterais entre a China e Portugal no ano passado.“O Presidente Xi Jinping e o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa trocaram cartas várias vezes, chegando a importantes consensos sobre a promoção do desenvolvimento da parceria estratégica
entre a China e Portugal,” o diplomata indicou.

O embaixador relembrou também que o Porto estabeleceu relações geminadas com Shanghai, Shenzhen e Macau, e realçou a abertura recente do primeiro Instituto Confúcio na cidade em 2019.

“A relação entre as duas partes tem obtido resultados frutíferos e um grande potencial”

À imprensa, o também Presidente da Liga dos Chineses em Portugal, Y Ping Chow, indicou que o remover das restrições de controlo da pandemia na China poderia significar um reinício das relações comerciais entre os dois países.

Chow realçou também que apesar de o crescimento de casos no país após a abertura, os atuais medidas exigidas em Portugal para a entrada de nacionais chineses não seriam necessárias.

Ao fim de três anos do aparecimento do SARS Cov-2, a China decidiu abdicar da estratégia de zero casos e abrir as fronteiras do país na totalidade, acabando com a obrigatoriedade de quarentena para quem entra.

No entanto, a União Europeia recomendou a apresentação obrigatória de teste negativo até 48 horas antes do embarque e testagem aleatória aos passageiros à chegada, no sentido de ser possível a sequenciação genómica do vírus a circular, medidas seguidas por Portugal.

“O Ano do Coelho significa paz e calma para o mundo, Portugal e a China […] A China está totalmente aberta e tenho a certeza que não vai trazer problemas à Europa,” Chow apontou.

“Para este Ano do Coelho desejo a paz e sem interferência política dos Estados Unidos. A comunidade chinesa quer trabalhar em paz e desenvolver a paz e a economia mundial”.

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Plataforma Studio

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!