Corpo de ex-presidente angolano passa por autópsia após autorização da justiça espanhola - Plataforma Media

Corpo de ex-presidente angolano passa por autópsia após autorização da justiça espanhola

O corpo do ex-presidente angolano José Eduardo dos Santos, que faleceu na sexta-feira em Barcelona, foi submetido a uma autópsia após o pedido de uma de suas filhas, que considera a morte suspeita, informaram seus advogados à AFP

A autópsia “foi neste fim de semana” e “ainda não temos os resultados”, disseram à AFP os advogados de Tchizé dos Santos, filha do homem que governou Angola com mão de ferro entre 1979 e 2017.

Uma porta-voz de um tribunal de Barcelona confirmou que um juiz autorizou na sexta-feira a autópsia, sem revelar mais detalhes. 

Santos morreu aos 79 anos na sexta-feira, dia 8, na clínica de Barcelona em que estava internado desde 23 de junho, quando sofreu uma parada cardíaca. O ex-chefe de Estado abandonou Angola e se mudou para a cidade espanhola em abril de 2019, oficialmente por motivos de saúde. 

A internação no CTI, revelada pela imprensa, provocou grande tensão na família, em particular entre a última esposa de Santos, Ana Paula, uma ex-aeromoça 21 anos mais jovem que ele, e Tchizé dos Santos, de 44 anos.

Esta última, que apresentou uma ação na Espanha poucos dias antes da morte do pai por “tentativa de homicídio”, afirmou no sábado em um comunicado que existiam uma “série de indícios” que permitem pensar que o óbito acontece em “condições suspeitas”.

Tchizé dos Santos considera, de acordo com os advogados, que Ana Paula e o médico particular do ex-presidente são responsáveis pelo agravamento do estado de saúde de Santos.

Leia mais sobre o assunto em: Morreu José Eduardo dos Santos, ex-presidente de Angola

Enterro na Espanha?

De acordo com a filha, o pai e Ana Paula estavam separados há algum tempo. Esta última também não tinha poder de decisão sobre a saúde de Santos porque seu casamento não era reconhecido legalmente na Espanha.

“Ana Paula não visitou Dos Santos em Barcelona desde sua separação em 2017 até o último mês de abril de 2022”, afirmou Tchizé no comunicado.

O ex-presidente “manifestou o desejo de ser enterrado em uma cerimônia íntima na Espanha, não em Angola com um funeral de Estado que poderia favorecer o atual governo”, insistiu a filha no comunicado. 

O ministro angolano das Relações Exteriores, Tete Antonio, que na sexta-feira esteve na clínica de Barcelona onde o ex-presidente morreu, se negou a comentar essas acusações.

“Não viemos para discutir assuntos desta natureza, apenas para estar presentes em um momento difícil”, declarou o ministro à imprensa.

O atual presidente angolano, João Lourenço, sucessor de Santos, surpreendeu a todos ao iniciar uma ampla campanha contra a corrupção da família de seu antecessor assim que chegou ao poder.

Nascido em um bairro muito pobre da capital Luanda, José Eduardo dos Santos é acusado de desviar grandes quantias de recursos angolanos para favorecer sua família e amigos. Outra de suas filhas, Isabel, é considerada a mulher mais rica da África.

Related posts
AngolaPolítica

Filha de Eduardo dos Santos, Tchizé, demarca-se de carta e diz que é contra amnistias

AngolaPolítica

Filhos de José Eduardo dos Santos pedem amnistia geral

AngolaPolítica

Transladação de José Eduardo dos Santos continua a aguardar decisão judicial

AngolaPolítica

Luto nacional encerra hoje: Dirigentes partidários defendem imortalização de Eduardo dos Santos

Assine nossa Newsletter