Presidência de Angola da CPLP satisfaz os Membros - Plataforma Media

Presidência de Angola da CPLP satisfaz os Membros

Zacarias da Costa deslocou-se à Guiné Equatorial para acelerar a integração do país na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e discutir os compromissos assumidos com a organização, onde se pronunciou, ao responder à imprensa, sobre o desempenho da presidência angolana. “Está a ter um bom papel, diria, é muito positivo”, afirmou o responsável, argumentando que há boa sincronização entre o Secretariado e a Presidência, e decerto será o mote para o futuro.

O secretário executivo da CPLP, realçou que a Angola, no cumprimento da sua presidência em exercício, pode ter um papel importante no processo de integração da Guiné Equatorial, adequando os esforços das autoridades de Malabo, por forma a que as coisas corram bem e a integração plena possa se concretizar. “Como disse o ministro das Relações Exteriores da Guiné Equatorial, é preciso fazer uma integração de forma gradual, como os passos que foram dados até agora, que incluem a oferta de bolsas de estudo por Angola, Moçambique, Portugal, Brasil, portanto um trabalho conjunto, feito por todos, para que a integração seja firme”, sublinhou o diplomata.       

Em relação às expectativas das populações com o Acordo de Mobilidade e com o novo objectivo de cooperação económica na CPLP, o secretário executivo, Zacarias Costa, referiu que não é fácil assinar-se um acordo, e, a seguir, aplicar-se os termos do acordo, sobretudo quando se trata de um acordo quadro como este, de âmbito geral, e não consagra imediatamente a possibilidade para os cidadãos circularem livremente, por existir um conjunto de acções que os Estados-membros devem implementar.

“Cada Estado-membro deve tomar um conjunto de acções, tendo em conta a sua inserção geográfica, em contextos regionais diferentes, exigências, desafios e compromissos com as organizações regionais em que estão inseridos, e, então, se avançar para acordos de parcerias adicionais que possam permitir, gradualmente, a implementação dos passos necessários, para que, num futuro próximo, possamos ter essa circulação tão almejada pelos nossos cidadãos”, explicou.

Leia mais em Jornal de Angola

Related posts
AngolaPolítica

UNITA diz que Tribunal Constitucional aceitou providência cautelar

AngolaSociedade

“Caçadores de óbito”, os truques para matar a fome em Luanda à custa dos funerais

AngolaBrasil

Livre circulação nos países lusófonos - Veja o PDF

AngolaBrasil

Um acordo de mobilidade (ainda) mínimo que levanta preocupações nos PALOP

LusofoniaPortugal

Portugal volta a ter representação permanente junto da CPLP

Cabo VerdePolítica

Cabo Verde quer consolidar desenvolvimento na cimeira com Portugal

Assine nossa Newsletter