ONU quer resposta contra corrupção no desporto - Plataforma Media

ONU quer resposta contra corrupção no desporto

“Apesar de a corrupção no desporto não ser um fenómeno novo – atividades fraudulentas nas instituições desportivas e competições estão documentadas desde os tempos dos antigos Jogos Olímpicos -, nas últimas duas décadas assistimos a um aumento substancial nas atividades criminais nesta área”, assinala o documento, elaborado pelo UNODC em parceria com cerca de 200 peritos de diversos países.

Segundo o Relatório Global sobre Corrupção no Desporto, “a globalização, o enorme influxo de dinheiro, o rápido crescimento das apostas desportivas legais e ilegais, e os avanços tecnológicos que transformam a forma como o desporto é praticado e consumido estão a torná-lo cada vez mais atrativo para as redes criminosas que pretendem explorar o desporto para lucro ilícito”.

Só no que diz respeito ao mercado de apostas ilegais, é estimado que sejam movimentados 1,5 biliões de euros anualmente, de acordo com os dados apresentados neste trabalho do organismo das Nações Unidas que tem sede em Viena, na Áustria.

“Oferecendo um manual para combater eficazmente o crime e a corrupção no desporto, e estabelecendo uma série de considerações políticas concretas, o Relatório Global sobre a Corrupção no Desporto também revela a impressionante escala, manifestação e complexidade da corrupção e do crime organizado no desporto ao nível global, regional e nacional”, realça o UNODC, que considera este estudo como o “mais aprofundado do género até hoje”.

O relatório global, lançado na data em que é assinalado o Dia Internacional Anticorrupção, analisa o papel das apostas ilegais, a manipulação da competição, o abuso no desporto, a suscetibilidade dos grandes eventos desportivos à corrupção, e o envolvimento do crime organizado, entre outros temas.

Também destaca a mudança no cenário do desporto e a sua relação com práticas corruptas, as iniciativas existentes para lidar com o problema, questões relacionadas à deteção e denúncia de irregularidades, bem como a forma como as estruturas legais existentes podem ser aplicadas para lidar com a corrupção nesta área.

O documento, desenhado para uso dos governos e das organizações desportivas, foi divulgado uma semana antes de começar a reunião bienal das Nações Unidas contra a corrupção, que vai decorrer em Sharm El-Sheikh, no Egito, entre 13 e 17 de dezembro, e onde o tema da corrupção no desporto vai ser discutido.

Leia mais em Jornal de Notícias

Assine nossa Newsletter