CR7 e Messi protagonistas em mercado com final vibrante -

CR7 e Messi protagonistas em mercado com final vibrante

Cristiano Ronaldo e ​​​​​​​Lionel Messi, dominadores do futebol mundial na última década e meia, foram súbitos protagonistas de um inolvidável mercado de transferências.

Insatisfeito ao fim de três épocas nos italianos da Juventus, o avançado internacional português esteve apontado a Real Madrid e Manchester City e ‘carimbou’ o regresso ao Manchester United 12 anos depois, incentivado pelo ‘lendário’ treinador escocês Alex Ferguson, que o orientou durante a primeira passagem por Old Trafford (2003-2009).

Antes dessa simbólica oportunidade de mercado, avaliada em 15 milhões de euros (ME), com mais oito em variáveis, os ‘red devils’ já tinham mostrado pujança financeira por Jadon Sancho (ex-Borussia Dortmund, 80) e Raphaël Varane (ex-Real Madrid, 40).

Só acima dos 140 ME do Manchester United surge o Arsenal, último classificado da Liga inglesa, com 165,6 ME, entre Ben White (ex-Brighton, 58,5), Martin Odegaard (ex-Real Madrid, 35), Aaron Ramsdale (ex-Sheffield United, 28), Takehiro Tomiyasu (ex-Bolonha, 18,6), Albert Sambi Lokonga (ex-Anderlecht, 17,5) e Nuno Tavares (ex-Benfica, oito).

Os ‘gunners’ foram mesmo o clube com pior saldo no verão, ao faturarem 29,4 ME, numa janela em que o campeão inglês Manchester City estabeleceu a operação mais cara de 2021/22 com Jack Grealish (ex-Aston Villa, 117,5) e captou Kayky (ex-Fluminense, 10).

O Liverpool também se limitou a entregar 40 ME por Ibrahima Konaté (ex-Leipzig), com o Tottenham, de Nuno Espírito Santo, a juntar à continuidade de Harry Kane os reforços Emerson Royal (ex-F. C. Barcelona, 25), Bryan Gil (ex-Sevilha, 25) e Pape Sarr (ex-Metz, 16,9), além de Cristian Romero e Pierluigi Gollini, ambos emprestados pela Atalanta.

Leia mais em Jornal de Notícias

Assine nossa Newsletter