Lula encerra turnê pelo nordeste com tom eleitoral - Plataforma Media

Lula encerra turnê pelo nordeste com tom eleitoral

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva encerrou na noite desta quinta-feira (26) em Salvador uma turnê pelo nordeste com ares de pré-campanha, em um ato com movimentos da comunidade negra no qual criticou o governo de Jair Bolsonaro.

O líder do Partido dos Trabalhadores (PT), que ainda não confirmou que será candidato nas eleições presidenciais do ano que vem, rejeitou a existência de uma polarização que obrigue o surgimento de uma terceira via nas urnas.

“Eu queria dizer pra vocês que não tem polarização, vocês têm a candidatura do PT que sempre foi democrática e a candidatura de um fascista genocida que é o Bolsonaro”, afirmou o ex-presidente (2003-2010), muito aplaudido pelos apoiadores.

A capital baiana foi a última parada de uma turnê iniciada em 15 de agosto por vários estados do nordeste brasileiro, bastião histórico do PT.

Para Creomar de Souza, da consultoria Dharma, Lula iniciou a pré-campanha por onde “parecia mais óbvio”, onde Bolsonaro somou a menor quantidade de votos em 2018: “Foi o lugar certamente mais impactado pelas duas administrações dele, não só com o ‘Bolsa Família’ mas com uma série de outros programas sociais.”

“Tem toda uma simbologia” no início deste diálogo por parte do ex-presidente em uma região de grande força eleitoral, e “isso caminha em paralelo com esse momento em que o governo do Bolsonaro ainda não encontrou um novo jeito de fazer pontes”, continuou De Souza.

Lula, 75 anos, recuperou há meses seus direitos políticos graças à anulação das condenações por corrupção que pesavam sobre ele, uma das quais levou o petista há passar 18 meses na prisão, entre 2018 e 2019.

As últimas pesquisas dão a Lula uma ampla vantagem sobre Bolsonaro nas próximas eleições presidenciais, que se anunciam como as mais polarizadas da história do Brasil.

Bolsonaro registra a pior popularidade desde que assumiu o poder em janeiro de 2019, em especial devido à caótica gestão da pandemia, que já matou quase 580.000 pessoas no Brasil. O presidente também é investigado por prevaricação por supostamente não ter denunciado indícios de corrupção na aquisição de vacinas contra a covid-19.

– Notícias falsas e inflação –

Diante de líderes da comunidade negra, Lula afirmou ser vítima da difusão de notícias falsas promovidas pelo entorno de Bolsonaro.

“Estou sabendo que os bolsonaristas tão fazendo uma verdadeira guerra contra mim na internet. Falando que tenho relação com o demo… Eles só sabem fazer isso. Todo mundo sabe que sou católico, mas quando for candidato todas as religiões serão tratadas com a maior decência”, se defendeu o líder petista.

“Vou avisar: não adianta fazer ‘fake news’ contra mim, Bolsonaro”.

Lula também responsabilizou o governo de Bolsonaro pela inflação, que em julho alcançou alta de 8,9% em 12 meses, e pela desigualdade.

“Não é possível essa inflação que está corroendo as pessoas mais pobres deste país. Não é possível que a gasolina está aumentando 73%, não é possível que vai aumentar outra vez, vai aumentar a eletricidade”, criticou.

Assine nossa Newsletter