Atentado de Cabul é ataque mais mortífero contra os EUA no Afeganistão desde 2011 - Plataforma Media

Atentado de Cabul é ataque mais mortífero contra os EUA no Afeganistão desde 2011

A morte de pelo menos 13 militares americanos em atentados suicidas no aeroporto de Cabul, nesta quinta-feira (26), é a pior perda para o Pentágono no Afeganistão desde 2011.

O general Kenneth McKenzie, comandante do Comando Central dos EUA responsável pelo Afeganistão, informou que os militares foram mortos quando dois homens-bomba, supostamente da filial afegã do grupo jihadista Estado Islâmico (EI), detonaram explosivos perto do portão principal do aeroporto e de um hotel próximo.

Entre os mortos, segundo relatos da mídia norte-americana, estão 12 fuzileiros navais e um médico da Marinha.

O ataque ocorreu enquanto uma grande operação de retirada liderada pelos EUA para civis estrangeiros e afegãos foi acelerada após a tomada de poder pelo Talibã em meados de agosto.

A guerra de duas décadas no Afeganistão custou 1.909 vidas de militares americanos em combate. Aqui estão algumas das principais perdas:

– Helicópteros –

As maiores perdas ocorreram em 6 de agosto de 2011, quando insurgentes abateram um helicóptero Chinook em uma missão noturna na província de Wardak, a sudoeste de Cabul.

Trinta soldados americanos, incluindo 22 fuzileiros das forças especiais dos Navy SEAL, foram mortos, bem como oito afegãos e um cão militar.

Antes disso, o pior número de mortos em um dia também envolvia um helicóptero.

Em 28 de junho de 2005, três fuzileiros navais foram mortos em um tiroteio após serem deixados de avião nas montanhas da província oriental de Kunar.

Um helicóptero que levava reforços e que foi enviado para ajudar um dos fuzileiros ainda vivo no solo e para recuperar os corpos dos outros três foi abatido, matando 16 a bordo.

– Tiroteios –

Outras perdas importantes incluem um tiroteio em julho de 2008 entre dezenas de combatentes do Talibã e soldados americanos em Wanat, na província de Nuristão, no qual nove soldados americanos foram mortos.

Quinze meses depois, em outubro de 2009, oito americanos foram mortos em um tiroteio semelhante com centenas de combatentes do Talibã em Kamdesh, também na província de Nuristão.

– Supostos aliados –

Ataques de supostos aliados também ceifaram a vida de americanos no Afeganistão.

Em 27 de abril de 2011, oito membros da Força Aérea dos Estados Unidos e um civil americano foram mortos a tiros no aeroporto de Cabul por um piloto afegão.

E no dia 30 de dezembro de 2009, um “agente triplo” (um espião que finge ser um agente duplo para um lado, embora na verdade seja um agente duplo para o outro lado), que os Estados Unidos pensavam estar operando a seu favor, matou sete oficiais e contratados da Agência Central de Inteligência (CIA), bem como duas outras pessoas, em uma instalação da CIA no leste do Afeganistão conhecida como Base Chapman.

Assine nossa Newsletter