EUA: Senado confirma primeira mulher à frente de Comando Sul das Forças Armadas - Plataforma Media

EUA: Senado confirma primeira mulher à frente de Comando Sul das Forças Armadas

O Senado dos Estados Unidos confirmou na quarta-feira a nomeação da tenente-general Laura Richardson para liderar o Comando Sul das Forças Armadas (Southcom) do país, tornando-se a primeira mulher a ocupar o cargo.

Além da luz verde para a nomeação de Richardson, de 57 anos, para o cargo, o Senado aprovou também a sua promoção a general de quatro estrelas.

O ex-congressista Gil Cisneros foi também confirmado pelo Senado como subsecretário da Defesa, responsável por questões de pessoal e logística, noticia a agência EFE.

O Comando Sul é a unidade com responsabilidade pelas operações militares dos Estados Unidos na América Latina e nas Caraíbas.

A nomeação de Laura Richardson para o cargo foi anunciada em 08 de março pelo presidente Joe Biden, durante uma cerimónia na Casa Branca no Dia Internacional da Mulher.

Após a conformação do Senado, a tenente-general é a segunda mulher a liderar um comando de combate na história dos Estados Unidos, após a general, agora aposentada, Lori Robinson, que liderou o Comando Norte entre 2016 e 2018.

Joe Biden tinha divulgado também em 08 de março a indicação da general Jacqueline Van Ovost para liderar o Comando de Transporte, escolha que ainda não foi confirmada na Câmara Alta.

Segundo o jornal The New York Times, o Pentágono tinha aprovado já anteriormente as nomeações de Richardson e Van Ovost, mas decidiu esperar até depois das eleições presidenciais de novembro, conquistadas por Biden, por temer que o então presidente, Donald Trump, fizesse vetar estas nomeações, por serem mulheres.

Com a nomeação, Laura Richardson passa a liderar mais de 1.200 militares e civis que integram o Southcom, com base em Doral, no Estado da Florida.

Este era liderado desde 2018 pelo almirante Craig Faller e nos últimos anos aumentou a sua presença militar nas costas da América Latina, para combater o tráfico de droga.

A tenente-general está no serviço militar há mais de três décadas, após ter ingressado em 1986.

Com o sonho de ser piloto de helicóptero, Richardson começou a treinar com 15 anos, quando ainda não era permitido a mulheres operarem aeronaves de combate.

Como soldado, pilotou helicópteros Sikorsky UH-60 Black Hawk e serviu em duas missões de combate, no Iraque e no Afeganistão.

Foi ainda assessora militar do ex-presidente norte-americano Al Gore (1993-2001) e transportou a pasta nuclear.

Richardson é casada há mais de 30 anos com outro tenente-general, de três estrelas, James Richardson, que conheceu na escola de aviação e com quem tem uma filha.

Related posts
EconomiaMundo

Metade dos gastos do Pentágono desde 2001 foi para empresas da área da Defesa

MundoPolítica

Chefe militar dos EUA diz que 'nada indicava' colapso do governo afegão em 11 dias

EconomiaMundo

Presidente da Reserva Federal diz que pandemia mudou economia dos EUA para sempre

MundoPolítica

Biden ameaça talibãs com "força devastadora se necessário"

Assine nossa Newsletter