Distribuir vacinas contra a covid-19 não é “ato de caridade” - Plataforma Media

Distribuir vacinas contra a covid-19 não é “ato de caridade”

Afirmação é do diretor-geral da OMS, que lembra que os países que já estão saindo do confinamento são os que têm stocks de testes, oxigênio e vacinas.

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, OMS, pediu mais rapidez na distribuição de vacinas contra a Covid-19, por meio da aliança Covax. 

Em Genebra, Tedros Ghebreyesus lembrou que os países que já saem do confinamento e retomam a vida social são aqueles “que têm um grande estoque de testes, de equipamentos de proteção, de oxigênio e principalmente, de vacinas”. 

Distribuição Igualitária 

O chefe da OMS disse por outro lado, que os países sem este tipo de acesso são os que enfrentam uma onda de mortes e de internações, agravada pelas variantes do vírus. 

Tedros declarou que distribuir as vacinas de forma igualitária não é nada fora do alcance “nem se trata de nenhum ato de caridade”. 

Segundo ele, a pandemia está numa fase muito perigosa, apesar de vários esforços para controlá-la. 

Países de Baixa Renda

O chefe da OMS lembra que é do interesse de todos garantir que as nações de rendas média e baixa tenham vacinas, testes e tratamentos. 

As declarações de Tedros foram feitas na terça-feira, durante um encontro do conselho da agência da ONU responsável por acelerar o acesso aos meios de combate à Covid-19.

Assine nossa Newsletter