Covid-19 atirou mais 400 mil portugueses para a pobreza extrema

Covid-19 atirou mais 400 mil portugueses para a pobreza extrema

A pandemia fez cair o rendimento mediano anual de 10.100 euros para 9.100 euros, representando um aumento de 25% da pobreza ao longo de um ano

Cerca de 400 mil pessoas caíram abaixo do limiar da pobreza devido à crise provocada pela pandemia da covid-19, agravando o fosso entre os ricos e os pobres em Portugal, revela um estudo divulgado esta terça-feira, 22 de junho.

“Em comparação com o cenário sem crise, 400 mil novos indivíduos caíram abaixo do limiar de pobreza, definido como 60% do rendimento mediano equivalente, aumentando a taxa de risco de pobreza em 25% como consequência da pandemia de covid-19“, concluiu o estudo do Observatório Social da Fundação “la Caixa”, da autoria do Center of Economics for Prosperity (PROSPER) da Universidade Católica de Lisboa.

Segundo o documento que a Lusa teve acesso, que considera que as medidas do Governo minimizaram em parte o aumento da pobreza e da desigualdade, a pandemia resultou numa “perda substancial de rendimentos para a população portuguesa”, com o rendimento mediano anual a cair de 10.100 euros no cenário sem crise para 9.100 euros no cenário com crise.

Além disso, a crise provocada pela covid-19 “teve efeitos assimétricos”, uma vez que as classes baixa e média-baixa, a região do Algarve e as pessoas com escolaridade até ao nono ano “foram os grupos mais afetados por esta crise, com perdas claramente acima da média nacional”, refere o estudo.

Leia mais em Delas

Related posts
DesportoPortugal

Marítimo e Nacional com público nas bancadas no arranque da época 2021/2022

DesportoEconomia

Pandemia roubou 595 milhões e levou 3100 clubes desportivos e 16 mil empregos

PortugalSociedade

Covid-19 deve duplicar até agosto em Portugal, mas na Europa será ainda pior

PortugalSociedade

Portugueses confiantes na vacinação, mas mais descontentes com Governo

Assine nossa Newsletter