Início Mundo A mulher que ajudou a transformar a Suécia de país pobre em exemplo de desenvolvimento

A mulher que ajudou a transformar a Suécia de país pobre em exemplo de desenvolvimento

Vencedora do Prêmio Nobel da Paz, ela foi uma das idealizadoras do Estado de bem-estar social sueco.

“Vimos esta competição, esta corrida para construir arsenais excessivos e sem sentido. A minha mensagem aqui hoje vai ter que ser que acredito que o mundo está doente.”

Foi o que disse a sueca Alva Myrdal (1902-1986), com sua franqueza típica, em 1982, quando recebeu o Prêmio Nobel da Paz.

Ela havia nascido no início daquele século, em um mundo muito diferente, onde não havia armas nucleares, e a Suécia, seu país natal, era quase irreconhecível: uma terra de agricultores, pobre e patriarcal.

“No início daquele século, a Suécia era praticamente o país mais pobre da Europa, e Alva não podia frequentar a escola primária porque meninas não tinham permissão [para ir à escola] onde ela vivia, no campo”, diz Kaj Foelster, uma de suas filhas, à BBC.

Seu pai, Albert Reimer, havia recebido pouca educação formal, mas era muito culto.

A jovem Alva devorou ​​sua biblioteca repleta de livros de autores socialistas e filósofos alemães e suecos, o que convenceu o pai “a apoiá-la para que pudesse estudar, mas tiveram que pagar professores fora da escola”.

Além do que aprendeu nessas aulas particulares, Alva ganhou conhecimento sobre política e ideias de justiça social com seu pai, um dos primeiros membros do Partido Social-Democrata que viria a dominar a política sueca em meados do século 20.

Reimer estava interessado em ideias novas, ideias que logo foram absorvidas por sua filha mais velha.

Leia mais em Folha de S.Paulo

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Plataforma Studio

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!