A mulher que ajudou a transformar a Suécia de país pobre em exemplo de desenvolvimento - Plataforma Media

A mulher que ajudou a transformar a Suécia de país pobre em exemplo de desenvolvimento

Vencedora do Prêmio Nobel da Paz, ela foi uma das idealizadoras do Estado de bem-estar social sueco.

“Vimos esta competição, esta corrida para construir arsenais excessivos e sem sentido. A minha mensagem aqui hoje vai ter que ser que acredito que o mundo está doente.”

Foi o que disse a sueca Alva Myrdal (1902-1986), com sua franqueza típica, em 1982, quando recebeu o Prêmio Nobel da Paz.

Ela havia nascido no início daquele século, em um mundo muito diferente, onde não havia armas nucleares, e a Suécia, seu país natal, era quase irreconhecível: uma terra de agricultores, pobre e patriarcal.

“No início daquele século, a Suécia era praticamente o país mais pobre da Europa, e Alva não podia frequentar a escola primária porque meninas não tinham permissão [para ir à escola] onde ela vivia, no campo”, diz Kaj Foelster, uma de suas filhas, à BBC.

Seu pai, Albert Reimer, havia recebido pouca educação formal, mas era muito culto.

A jovem Alva devorou ​​sua biblioteca repleta de livros de autores socialistas e filósofos alemães e suecos, o que convenceu o pai “a apoiá-la para que pudesse estudar, mas tiveram que pagar professores fora da escola”.

Além do que aprendeu nessas aulas particulares, Alva ganhou conhecimento sobre política e ideias de justiça social com seu pai, um dos primeiros membros do Partido Social-Democrata que viria a dominar a política sueca em meados do século 20.

Reimer estava interessado em ideias novas, ideias que logo foram absorvidas por sua filha mais velha.

Leia mais em Folha de S.Paulo

Related posts
MundoSociedade

Situação é "extremamente grave" na Suécia

MundoPortugal

Um emigrante português em Estocolmo: "Quando uso máscara sinto-me marciano"

MundoSociedade

O seu nome era Adriana, tinha 12 anos e foi morta a tiro num bairro tranquilo da Suécia

MundoPolítica

Caso Gui Minhai: Ex-embaixadora sueca em Pequim absolvida

Assine nossa Newsletter