Analistas preveêm que Farfetch cresça com Alibaba - Plataforma Media

Analistas preveêm que Farfetch cresça com Alibaba

A plataforma de luxo online Farfetch, fundada pelo empresário português José Neves, deverá ver o número de compradores ativos no site aumentar para pelo menos 30 milhões nos próximos cinco anos, graças à parceria com a empresa chinesa Alibaba, especializada em e-commerce.

Em novembro passado, a Alibaba e a Richemont formaram uma empresa conjunta chamada Farfetch China, e comprometeram-se a investir mais de 1,1 mil milhões de dólares no mercado de bens de luxo.

Numa nota de pesquisa para investidores, o analista do Credit Suisse Stephen Ju diz que os primeiros seis meses de 2021 serão de forte crescimento, mas a verdadeira oportunidade para a plataforma provém da integração na área de marcas de Luxo da Alibaba.

Ju prevê que a Farfetch terminará o quarto trimestre com três milhões de compradores ativos na plataforma, mas acredita que esse número poderá ser multiplicado por 10 nos próximos cinco anos.

O analista também elevou a perspetiva de preço por ação (em stock) dos 53 para os 85 dólares norte-americanos.

Lançada em 2017 no Tmall, o site de compras business-to-consumer (B2C) da Alibaba, a área de Luxo é uma plataforma que oferece produtos que incluem não só roupas e cuidados com a pele, mas também acessórios de moda como relógios e carros de luxo.

A Farfetch lançou novos canais de compras no Tmall, como o Luxury Soho (uma plataforma para jovens virados para o consumo de produtos de luxo), e no site transfronteiriço Tmall Global, permitindo-lhe explorar os quase 760 milhões de consumidores da Alibaba.

O grupo baseado em Londres, e também parcialmente sediado em Portugal, tem agora o apoio de dois gigantes chineses da Internet, a Alibaba e o anterior acionista Tencent, bem como de dois gigantes ligados ao setor do luxo, a Kering e a Richemont.

Related posts
China

China multa 'gigante' do comércio 'online' Alibaba em 2,33 mil milhões de euros

ChinaSociedade

Governo chinês pede ao grupo Alibaba que se desfaça de ativos na imprensa

DesportoPortugal

Prodígio digital: Federação Portuguesa já chegou à China

ChinaEconomia

Reguladores chineses anunciam investigação antimonopólio ao grupo Alibaba

Assine nossa Newsletter